sexta-feira, 12 de maio de 2017

Tributo a uma heroína de carne e osso - jorge Marvão



Uma linda, emocionante e comovente homenagem in memoriam escrita pelo amigo Jorge Marvão a sua amada mãe que deixou este plano em 30 de outubro de 2012.

*Jorge Marvão

Eu cresci acreditando que os super-heróis e heroínas eram dotados de superpoderes especiais como voar, ficar invisível, parar tempestades, impedir o fim do mundo.

O tempo foi passando e descobri, como por encanto que, ao meu lado, dentro de minha casa vivia a maior de todas as heroínas, aquela que com uma palavra fazia desaparecer o meu medo, com um beijo fazia sumir a dor de uma queda, que com suas mãos de fadas curava as minhas feridas e preparava os meus xaropes. Uma heroína que me tranquilizava quanto ao meu futuro, me incentivando a dar o melhor de mim.

Uma heroína de carne e osso, feita de sonhos e de puro amor.

Uma heroína que se alegrava com as minhas conquistas e que não me deixava desistir diante de uma perda.

A minha heroína me chamava de meu filho, me colocava pra dormir e quando eu não tinha fome dizia: “come só um pouquinho meu filho”. Quando eu estava doente se colocava de joelhos e orava ao pai do Céu pedindo a minha cura. 

Essa heroína é a minha mãe, mulher forte, corajosa, guerreira, toda feita de amor.

Minha heroína nunca se abateu diante da dor e do sofrimento e sempre encontrava forças para continuar vivendo, nos ensinando com seu silêncio que a vida é dom precioso de Deus e que a Ele um dia iremos prestar contas de tudo o que vivemos.

A minha heroína me ensinou a chamar Deus de pai e a esperar uma vida além desta vida. Minha heroína sabia que existia alguém muito maior do que ela e lhe prestava reverência e quando percebeu que sua missão havia sido concluída, retornou para a casa do nosso Criador, onde repousa a paz reservada somente àqueles que muito amaram e lutaram por amor.

Sentimos muitas saudades suas, mas sentimos muito mais orgulhos de sermos teus filhos, netos, bisnetos. 

Obrigado por ter sido nossa referência, nossa guia, nossa mãe.

Te amamos mãe.

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

Um comentário:

  1. Boa noite prezado Abimael, escritos comovente e real. Entende-se de ter tido o senhor Marvão uma mãe. Um percentual significativo de mulheres mães, procedem como a mãe de Marvão! Abraços. Reinaldo Cantanhêde Lima

    ResponderExcluir

Credibilidade é o nosso maior patrimônio

Nosso objetivo é fazer jornalismo com seriedade, produzindo conteúdo regional, sobre política, economia, sociedade e atualidade, na forma de opinião, editorial e criticas. Não usamos de artifícios como sensacionalismo, imagens apelativas, chocantes ou degradantes, tampouco textos, frases, ou palavras chulas para obter acessos.

Não somos o primeiro a divulgar a informação, mas somos quem apresenta o conteúdo checado, aprofundado e diferenciado. Aqui oferecemos aquele algo mais que ainda não foi dito, ou ainda não foi mostrado. Noticias qualquer um pode divulgam, mas com apuração e seriedade só aqui.

Comentários anônimos, ou que contenham, palavrões, pornografia, ataques pessoais, calúnias ou difamações não serão publicados.

Jornalista Abimael Costa

Clinica Santo André

Clinica Santo André