domingo, 7 de setembro de 2014

A arte de denegrir




Por: José Sarney

Aluísio Azevedo, quando saiu do Maranhão, magoado com o tratamento que recebeu em sua terra, resolveu jamais voltar aqui. Depois foi consagrado no Brasil inteiro como fundador do romance realista brasileiro, elogiado, louvado pela crítica nacional e internacional. Então fez um ataque magoado e virulento à nossa terra, que eu não me aventuro em citar, tão violento ele é.

Ele tomou o Maranhão por alguns ressentidos de sempre, que existem em todos os tempos e que tem horror dos vitoriosos. Até hoje pagamos pela conduta deles, pois foram os responsáveis pelo Sermão do Vieira que sempre é citado contra o Maranhão, chamado de Sermão dos M, “M- Maranhão, M- murmurar, M- motejar, M- maldizer, M- malsinar, M- mexericar, e, sobretudo, M- mentir”. São esses que sempre espalham que aqui é o pior lugar do mundo, inventam todas as patranhas contra as pessoas e vivem de caluniar, de denegrir a honra das pessoas, de difamar, de mentir.

Se eu fosse atrás desse tipo de pessoa, vivia amargurado. É gente em geral composta de traidores e sevandijas, como mandava chamá-los o grande jornalista maranhense Nascimento de Morais, que foi meu professor no Liceu e depois meu colega de redação em O Imparcial, quando escrevia sua crônica com o pseudônimo de Braz Sereno.

Mentem sobre o estado, dizendo ser o mais atrasado do Brasil, de 16ª riqueza passa a ser a última, 27ª… mentem 11 posições. De 5º menos violento, passa a ser o último e tem candidato na televisão que diz termos mais homicídios do que o Iraque… Esquecem a rede hospitalar que Roseana construiu, o maior programa de saúde estadual do Brasil, com um hospital de referência como o Carlos Macieira, o melhor da cidade e do estado, um hospital que rivaliza com os particulares, com as UPAS mais exemplares do sistema, cujo testemunho é do povo que ali é atendido… e dizem que ele e elas não existem.

À minha custa, muitos vivem e mentem de todos os modos. Tem um que foi preso por ganhar um automóvel, diz que fui eu o responsável pelo presente que recebeu e continua a mentir dizendo que foi absolvido, mas nunca apresenta a sentença. O processo está dormindo no Tribunal de Justiça a espera de saber de quem é a competência.

Eu nunca persegui ninguém, eu nunca dedurei ninguém e, governador ao tempo do regime de 1964, não demiti ninguém, não cassei ninguém e somos o único estado em que não foi preciso anistia, porque aqui não se fez nenhuma arbitrariedade, ao contrário, eu é que era perseguido, sendo denunciado aos militares como comunista e protetor de comunista, porque tive a coragem, que ninguém tinha, de acolher e nomear no meu governo Maria Aragão, Bandeira Tribuzi, Coronel Mochel, João Alberto, e tantos outros talentos, acusados de subversivos.

Esses maus maranhenses são os sucessores daqueles que fizeram Vieira fazer o Sermão das Mentiras e Aluísio Azevedo nos chamar de ingratos e traidores.

Coluna do Sarney - O Estado do Maranhão - 07/09/14 
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Credibilidade é o nosso maior patrimônio

Nosso objetivo é fazer jornalismo com seriedade, produzindo conteúdo regional, sobre política, economia, sociedade e atualidade, na forma de opinião, editorial e criticas. Não usamos de artifícios como sensacionalismo, imagens apelativas, chocantes ou degradantes, tampouco textos, frases, ou palavras chulas para obter acessos.

Não somos o primeiro a divulgar a informação, mas somos quem apresenta o conteúdo checado, aprofundado e diferenciado. Aqui oferecemos aquele algo mais que ainda não foi dito, ou ainda não foi mostrado. Noticias qualquer um pode divulgam, mas com apuração e seriedade só aqui.

Comentários anônimos, ou que contenham, palavrões, pornografia, ataques pessoais, calúnias ou difamações não serão publicados.

Jornalista Abimael Costa

LG Contabilidade Pública

LG Contabilidade Pública

Clinica Santo André

Clinica Santo André