sexta-feira, 11 de setembro de 2015

Justiça proíbe polícia de apreender adolescentes sem flagrante






A prática de atos de violência contra crianças e adolescentes cresce de forma exponencial em todo o Brasil. Vitimas de um sistema perverso e excludente que lhes negou moradia, educação, emprego, saúde e dignidade, estes jovens agora são obrigados a pagar uma conta que não e deles.

A sociedade, ou grande parcela dela, estigmatiza crianças, adolescentes e jovens, em sua grande maioria, pobres, negros, semi analfabetos e portanto excluídos do dito convívio social, a visão corrente e aceita por esta parcela da sociedade, é que estes jovens são um estorvo, responsáveis pelo aumento da criminalidade e protegidos por uma legislação paternalistas, que lhes passa a mão na cabeça, eles representam um perigo eminente e portanto devem ser segregados, retirados do convívio social. Mesmo que não tenham cometido crime algum, devem ser proibidos de ir e vir livremente.

Nesta quinta-feira (10), a 1ª Vara da Infância, da Juventude e do Idoso do Rio de Janeiro, determinou que a Polícia Militar só realize apreensões de adolescentes mediante constatação de flagrante delito.

A medida é resultado de um pedido de habeas corpus preventivo impetrado pela Defensoria Pública estadual contra atos da Delegacia da Criança e Adolescente Vítima (DCAV) e da Delegacia de Proteção da Criança e do Adolescente (DPCA).

A ação da Defensoria ocorreu depois que 160 jovens foram apreendidos nos últimos meses a caminho das praias da Zona Sul, sem que estivessem praticando atos infracionais. Pior é que o governador Luiz Fernando Pezão defendeu a medida, afirmando ser um ato legal, ele justifica que a operação foi feita com base em informações do serviço de inteligência da corporação.

O Estado que deveria garantir os direitos destes jovens é quem na verdade mais os ignora, nega e viola. Ao invés de ser tratado como um problema social, é cada vez mais comum o uso do braço armado do Estado. Excluídos pelo Estado, estigmatizados pela sociedade e tratados como caso de polícia, este jovens são presas cada vez mais fáceis do tráfico de drogas e do crime organizado que os recruta como mão de obra barata e descartável. 

O resultado de todo este processo é, um aumento exacerbado no numero de jovens assassinados, um verdadeiro extermínio; aumento no numero de dependentes químicos e evasão escolar em escala crescente.

O ECA - Estatuto da Criança e do Adolescente, completou 25 anos de vigência e pasmem, nunca foi implantado em sua totalidade, ao contrário é solenemente ignorado por governantes insensiveis e alheios aos problemas sociais, para estes é bem mais fácil e cômodo mandar a polícia recolher os adolescentes negros pobres e analfabetos, frutos de uma politica excludente e desastrada. 


Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Credibilidade é o nosso maior patrimônio

Nosso objetivo é fazer jornalismo com seriedade, produzindo conteúdo regional, sobre política, economia, sociedade e atualidade, na forma de opinião, editorial e criticas. Não usamos de artifícios como sensacionalismo, imagens apelativas, chocantes ou degradantes, tampouco textos, frases, ou palavras chulas para obter acessos.

Não somos o primeiro a divulgar a informação, mas somos quem apresenta o conteúdo checado, aprofundado e diferenciado. Aqui oferecemos aquele algo mais que ainda não foi dito, ou ainda não foi mostrado. Noticias qualquer um pode divulgam, mas com apuração e seriedade só aqui.

Comentários anônimos, ou que contenham, palavrões, pornografia, ataques pessoais, calúnias ou difamações não serão publicados.

Jornalista Abimael Costa

LG Contabilidade Pública

LG Contabilidade Pública

Clinica Santo André

Clinica Santo André