sexta-feira, 4 de novembro de 2016

⁠⁠⁠Lutar no Brasil: crime e castigo


Em tempos de PEC 241, está dado o recado: todos que ousarem lutar contra o Governo Temer serão duramente reprimidos

Por Tiago Rodrigues Santos*

A Constituição de 1988 foi - foi, porque desde o Golpe ela não existe mais – um marco importante no avanço civilizatório da sociedade brasileira. A CF88 foi fruto de lutas sociais – por saúde, educação, moradia, terra etc., - e consolidou a democracia em suas várias formas de expressão, dentre elas a organização da sociedade civil por meio dos movimentos sociais. Entre estes ganhou destaque a luta do MST pelo combate ao “direto sagrado” da propriedade privada e pela promoção de um Brasil menos desigual. Como o que vigora no Brasil recente é o Estado de Exceção, lutar se tornou crime.

Nesta semana, às polícias dos estados de Mato Grosso do Sul, Paraná e São Paulo – todos comandados pelo PSDB – realizaram operações contra militantes do MST, prendendo alguns, ameaçaram tantos outros e levaram terror a crianças e mulheres presentes nos espaços. As imagens da invasão à Escola Nacional Florestan Fernandes, em São Paulo, ratifica o Estado de Exceção que vivenciamos hoje no Brasil. Só se invade uma escola - erguida com a luta e os sonhos de muita gente – quando se tem apenas um objetivo: criminalizar os movimentos sociais.

Há poucas semanas comemorávamos a decisão do Supremo Tribunal de Justiça de que a militância no MST – e, portanto, em nenhum movimento - não se configura como crime. Mas nem sequer conseguimos comemorar, pois as operações supracitadas colocaram por terra a decisão do STJ. Os dados da CPT em 2015 explicitam números assustadores dos conflitos no campo: 50 pessoas foram mortas; 59 sofreram tentativa de assassinato; 144 foram ameaçadas de morte; 3 foram torturadas; 80 foram presas e 187 foram agredidas. Seus crimes? Lutar pela terra.

Em tempos de PEC 241, está dado o recado: todos os seguimentos sociais que ousarem lutar contra o Governo golpista de Temer, o desmanche do Estado e a aniquilação dos direitos sociais serão duramente reprimidos. No Brasil de Temer, lutar é crime e tem castigo.

Tiago Rodrigues Santos é Professor da UFOB e pesquisador do GeografAR-UFBA.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Credibilidade é o nosso maior patrimônio

Nosso objetivo é fazer jornalismo com seriedade, produzindo conteúdo regional, sobre política, economia, sociedade e atualidade, na forma de opinião, editorial e criticas. Não usamos de artifícios como sensacionalismo, imagens apelativas, chocantes ou degradantes, tampouco textos, frases, ou palavras chulas para obter acessos.

Não somos o primeiro a divulgar a informação, mas somos quem apresenta o conteúdo checado, aprofundado e diferenciado. Aqui oferecemos aquele algo mais que ainda não foi dito, ou ainda não foi mostrado. Noticias qualquer um pode divulgam, mas com apuração e seriedade só aqui.

Comentários anônimos, ou que contenham, palavrões, pornografia, ataques pessoais, calúnias ou difamações não serão publicados.

Jornalista Abimael Costa

LG Contabilidade Pública

LG Contabilidade Pública

Clinica Santo André

Clinica Santo André