terça-feira, 20 de dezembro de 2016

Defensor da reforma do ensino médio, Hildo Rocha destaca os pontos positivos das mudanças




 “Votei a favor da reforma do ensino médio porque tenho certeza que as mudanças irão contribuir para melhorar a qualidade do ensino tendo em vista que as avaliações do Pisa (Programa Internacional de Avaliação de Estudantes) indicam que os estudantes brasileiros não vão bem”, declarou o deputado.




O deputado federal Hildo Rocha (PMDB/MA) defendeu, na tribuna da Câmara, a aprovação da Medida Provisória que institui mudanças na estrutura curricular do ensino médio. Entre outros pontos, a MP aumenta a carga horária das atuais 800 horas anuais para 1.000 horas; e divide o currículo entre conteúdo comum e assuntos específicos de uma das áreas que o aluno deverá escolher (linguagens, matemática, ciências da natureza, ciências humanas e formação técnica).

“Votei a favor da reforma do ensino médio porque tenho certeza que as mudanças irão contribuir para melhorar a qualidade do ensino tendo em vista que as avaliações do Pisa (Programa Internacional de Avaliação de Estudantes) indicam que os estudantes brasileiros não vão bem”, declarou o deputado.

Rocha disse que a reforma precisava ser colocada em prática e destacou o empenho do ministro da educação e do presidente da república. “O ministro Mendonça Filho e o presidente Michel Temer estão de parabéns por terem liderado essa importante ação em defesa do ensino no nosso país”, declarou o deputado.

Síntese do texto aprovado

Área de formação

Já no início do curso, os alunos poderão escolher a área na qual vão se aprofundar: linguagens; ciências da natureza; ciências humanas e sociais aplicadas; matemática; e formação técnica e profissional.

Base curricular
A Base Nacional Comum Curricular deve representar 60% do currículo.

Carga horária
Em cinco anos, a carga horária do ensino médio deve passar das atuais 800 horas anuais para pelo menos 1.000 horas anuais (5 horas diárias).

Disciplinas

Serão obrigatórias: matemática, português, inglês, sociologia, filosofia, artes e educação física.

Apoio federal

Ajuda do governo federal para que os estados implantem escolas em tempo integral ocorrerá por dez anos.

Professores

· Professores com “notório saber” poderão lecionar no ensino técnico e profissional;

· Profissionais graduados que não tem cursos de licenciatura poderão dar aulas no ensino médio, desde que façam complementação pedagógica.

· Permite que a formação em licenciatura de professores se dê em faculdades isoladas, e não apenas em universidades e institutos superiores de educação, como prevê a lei atual.

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Credibilidade é o nosso maior patrimônio

Nosso objetivo é fazer jornalismo com seriedade, produzindo conteúdo regional, sobre política, economia, sociedade e atualidade, na forma de opinião, editorial e criticas. Não usamos de artifícios como sensacionalismo, imagens apelativas, chocantes ou degradantes, tampouco textos, frases, ou palavras chulas para obter acessos.

Não somos o primeiro a divulgar a informação, mas somos quem apresenta o conteúdo checado, aprofundado e diferenciado. Aqui oferecemos aquele algo mais que ainda não foi dito, ou ainda não foi mostrado. Noticias qualquer um pode divulgam, mas com apuração e seriedade só aqui.

Comentários anônimos, ou que contenham, palavrões, pornografia, ataques pessoais, calúnias ou difamações não serão publicados.

Jornalista Abimael Costa

LG Contabilidade Pública

LG Contabilidade Pública

Clinica Santo André

Clinica Santo André