terça-feira, 20 de dezembro de 2016

Defensor da reforma do ensino médio, Hildo Rocha destaca os pontos positivos das mudanças




 “Votei a favor da reforma do ensino médio porque tenho certeza que as mudanças irão contribuir para melhorar a qualidade do ensino tendo em vista que as avaliações do Pisa (Programa Internacional de Avaliação de Estudantes) indicam que os estudantes brasileiros não vão bem”, declarou o deputado.




O deputado federal Hildo Rocha (PMDB/MA) defendeu, na tribuna da Câmara, a aprovação da Medida Provisória que institui mudanças na estrutura curricular do ensino médio. Entre outros pontos, a MP aumenta a carga horária das atuais 800 horas anuais para 1.000 horas; e divide o currículo entre conteúdo comum e assuntos específicos de uma das áreas que o aluno deverá escolher (linguagens, matemática, ciências da natureza, ciências humanas e formação técnica).

“Votei a favor da reforma do ensino médio porque tenho certeza que as mudanças irão contribuir para melhorar a qualidade do ensino tendo em vista que as avaliações do Pisa (Programa Internacional de Avaliação de Estudantes) indicam que os estudantes brasileiros não vão bem”, declarou o deputado.

Rocha disse que a reforma precisava ser colocada em prática e destacou o empenho do ministro da educação e do presidente da república. “O ministro Mendonça Filho e o presidente Michel Temer estão de parabéns por terem liderado essa importante ação em defesa do ensino no nosso país”, declarou o deputado.

Síntese do texto aprovado

Área de formação

Já no início do curso, os alunos poderão escolher a área na qual vão se aprofundar: linguagens; ciências da natureza; ciências humanas e sociais aplicadas; matemática; e formação técnica e profissional.

Base curricular
A Base Nacional Comum Curricular deve representar 60% do currículo.

Carga horária
Em cinco anos, a carga horária do ensino médio deve passar das atuais 800 horas anuais para pelo menos 1.000 horas anuais (5 horas diárias).

Disciplinas

Serão obrigatórias: matemática, português, inglês, sociologia, filosofia, artes e educação física.

Apoio federal

Ajuda do governo federal para que os estados implantem escolas em tempo integral ocorrerá por dez anos.

Professores

· Professores com “notório saber” poderão lecionar no ensino técnico e profissional;

· Profissionais graduados que não tem cursos de licenciatura poderão dar aulas no ensino médio, desde que façam complementação pedagógica.

· Permite que a formação em licenciatura de professores se dê em faculdades isoladas, e não apenas em universidades e institutos superiores de educação, como prevê a lei atual.

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Credibilidade é o nosso maior patrimônio

Nosso objetivo é fazer jornalismo com seriedade, produzindo conteúdo regional, sobre política, economia, sociedade e atualidade, na forma de opinião, editorial e criticas. Não usamos de artifícios como sensacionalismo, imagens apelativas, chocantes ou degradantes, tampouco textos, frases, ou palavras chulas para obter acessos.

Não somos o primeiro a divulgar a informação, mas somos quem apresenta o conteúdo checado, aprofundado e diferenciado. Aqui oferecemos aquele algo mais que ainda não foi dito, ou ainda não foi mostrado. Noticias qualquer um pode divulgam, mas com apuração e seriedade só aqui.

Comentários anônimos, ou que contenham, palavrões, pornografia, ataques pessoais, calúnias ou difamações não serão publicados.

Jornalista Abimael Costa

Clinica Santo André

Clinica Santo André