sábado, 17 de dezembro de 2016

PRF deflagra Operação Integrada Rodovida Cidades no Maranhão


                        

Estima-se que o custo social de acidentes em rodovias federais no ano de 2014 foi de cerca de 12,8 bilhões de reais, de acordo com levantamentos do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) e da PRF. O resultado da pesquisa aponta que um acidente fatal gera um custo médio de R$ 647 mil, enquanto o acidente com vítima gera um custo de R$ 90 mil. Os acidentes sem vítimas ficam em R$ 23 mil. A análise dos custos sociais mostra a importância das ações que têm por objetivo reduzir os índices de letalidade no trânsito.


A Operação Integrada Rodovida Cidades deflagrada na manhã desta sexta-feira, 16 de dezembro, na Unidade Operacional da PRF em Pedrinhas (km 14 da BR 135), tem o objetivo prevenir acidentes e diminuir a violência no trânsito nas rodovias federais durante o período de fim de ano, férias escolares e Carnaval, quando o movimento nas estradas é intenso, com enfase ao enfrentamento à alcoolemia ao volante; controle da velocidade; ultrapassagens proibidas; uso do cinto de segurança; uso de aparelho celular enquanto dirige; fiscalização de motocicletas, motonetas e ciclomotores e fiscalização de transporte clandestino (ônibus), transporte alternativo irregular (vans e carrinhos).

O evento reuniu além da Polícia Rodoviária Federal (PRF), o SOS Vida no trânsito, a Companhia de  Polícia Militar Rodoviária Independente (CPRv Ind), o Departamento Estadual de Trânsito  (DETRAN/MA), a Secretaria Municipal de Segurança com Cidadania de São Luís (SEMUSC), o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), o Corpo de Bombeiros Militar do Maranhão (CBM /MA), o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Secretarias Municipais de Trânsito, o Ministério Público do Estado do Maranhão (MPMA), o SEST/SENAT. 


A Operação é um evento nacional, que acontecerá em dois momentos:

Primeira fase: 
de 16/12/2016 até 31/01/2017

Intervalo para avaliação:
de 01/02/2017 até 16/02/2017

Segunda fase:
de 17/02/2017 até 05/03/2017

Considerando que de dezembro a março o fluxo de veículos aumenta significativamente, principalmente em virtude das férias, das festas de fim de ano e do carnaval, o período requer um incremento da fiscalização dentro das cidades e nas estradas, a fim de propiciar o atingimento da meta proposta pela Organização das Nações Unidas (ONU) de reduzir, de 2011 a 2020, 50% a quantidade de vítimas de acidentes de trânsito em todo o mundo. Objetivo que só será alcançado com a integração das forças de segurança pública e com órgãos e instituições parceiros engajados nesta luta.


Com o objetivo de reduzir a violência no trânsito, operação conta com apoio da Presidência da República, Casa Civil e dos Ministérios das Cidades, Saúde e Transportes

Principal ação de enfrentamento à violência no trânsito brasileiro, a operação reúne desde 2011 as três instâncias de governo em ações simultâneas com objetivo de reduzir o número de vítimas de acidentes e faz parte do Pacto Nacional pela Redução de Acidentes, criado em 2011 em resposta à decisão da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), que proclamou o período de 2011 a 2020 como a Década Mundial de Ação pela Segurança do Trânsito.

A PRF conta com apoio de órgãos vinculados aos Ministérios das Cidades, Saúde e Transportes. Nos estados, ações integradas com órgãos estaduais e municipais serão desencadeadas durante toda a operação.

Foco

A PRF tem como prioridade o combate às infrações de trânsito relacionadas ao excesso de velocidade, embriaguez ao volante, ultrapassagens proibidas. Além dessas infrações, o uso correto de equipamentos como cinto de segurança, cadeirinhas para crianças e capacetes também é alvo da fiscalização do Órgão pois são fundamentais para reduzir os traumas causados em um acidente ou, até mesmo, evitá-los.

Além da fiscalização intensificada, atividades permanentes de educação para o trânsito são desenvolvidas com foco nos comportamentos de risco para que a sensibilização produza mudança de comportamento e, consequentemente, um trânsito mais seguro.

Custo Social

Estima-se que o custo social de acidentes em rodovias federais no ano de 2014 foi de cerca de 12,8 bilhões de reais, de acordo com levantamentos do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) e da PRF. O resultado da pesquisa aponta que um acidente fatal gera um custo médio de R$ 647 mil, enquanto o acidente com vítima gera um custo de R$ 90 mil. Os acidentes sem vítimas ficam em R$ 23 mil. A análise dos custos sociais mostra a importância das ações que têm por objetivo reduzir os índices de letalidade no trânsito.

Segundo a diretora-geral da PRF, Maria Alice Nascimento, o trabalho realizado pelo órgão contribuiu para a redução do número de mortos por acidentes de trânsito nas rodovias federais, gerando uma redução estimada na tendência equivalente à R$ 6,8 bilhões de reais nos últimos quatro anos. “Esse foi um resultado extremamente significativo, pois demonstra que o trabalho com diagnóstico é importante. Utilizando os recursos humanos e as tecnologias em locais estratégicos, conseguimos reduzir o número de mortes no país e quantificar isso é muito importante para nós”, destacou.


Alguns números referentes a acidentes e da fiscalização (multas, prisões e apreensões, educação para o trânsito) entre dezembro de 2015 e março de 2016 realizados pela PRF no estado do Maranhão

🔹

Acidentes: ..... 541

Feridos...... 513

mortos...... 089


🔹

Multas aplicadas

10.500 (dez mil e quinhentas)


Por ultrapassagem... 1.835

Condutor s/ cinto .... 396

Passageiro s/ cinto... 530

Alcoolemia ....... 029

Sem uso do capacete...683

Criança s/ cadeirinha... 075

🔹

Apreensões 

Cocaína. .. 70kg

Maconha... 40kg



Pessoas detidas... 103

Detidas por assalto a ônibus. .. 7 


🔹

Educação para o Trânsito 



Pessoas sensibilizadas... 4.020




Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Credibilidade é o nosso maior patrimônio

Nosso objetivo é fazer jornalismo com seriedade, produzindo conteúdo regional, sobre política, economia, sociedade e atualidade, na forma de opinião, editorial e criticas. Não usamos de artifícios como sensacionalismo, imagens apelativas, chocantes ou degradantes, tampouco textos, frases, ou palavras chulas para obter acessos.

Não somos o primeiro a divulgar a informação, mas somos quem apresenta o conteúdo checado, aprofundado e diferenciado. Aqui oferecemos aquele algo mais que ainda não foi dito, ou ainda não foi mostrado. Noticias qualquer um pode divulgam, mas com apuração e seriedade só aqui.

Comentários anônimos, ou que contenham, palavrões, pornografia, ataques pessoais, calúnias ou difamações não serão publicados.

Jornalista Abimael Costa

LG Contabilidade Pública

LG Contabilidade Pública

Clinica Santo André

Clinica Santo André