segunda-feira, 3 de abril de 2017

Paralisação em obras de duplicação da BR-135 inviabiliza entrega da via em abril


Duplicação da BR-135: por que parou?

Por determinação do Diretor Geral do DNIT, uma equipe de engenheiros virá ao Maranhão, ainda esta semana, para apurar as causas da paralisação.

Inconformado com nova paralisação da duplicação da BR-135, o deputado federal Hildo Rocha voltou a se reunir com o Diretor Geral do DNIT, Walter Casimiro, e com o Diretor Executivo, Luís Antônio Garcia, em busca de explicações. 

De Acordo com Hildo Rocha as paralisações anteriores aconteceram por falta de recursos. Mas, segundo o parlamentar, agora não há motivos para nova paralisação porque a bancada federal maranhense colocou duas emendas de bancadas para a conclusão da duplicação da rodovia.

“É lógico que as chuvas prejudicam o andamento da obra. Mas as empresas poderiam ter se preparado para trabalhar mesmo com chuva, isso é perfeitamente possível. A execução de algumas obras, como terraplenagem, de fato tornam-se impraticáveis quando se utiliza método tradicional, mas mesmo assim, isso não impede que outras frentes de trabalho avancem. As obras de artes e do viaduto podem ser realizadas mesmo com chuvas”, disse o parlamentar.

O deputado informou que por determinação do Diretor Geral do Dnit, Valter Casimiro, uma equipe de engenheiros virá ao Maranhão, esta semana, para apurar as causas da paralisação.

Punição

Rocha ressaltou que no dia 11 de julho de 2016, as empresas que estão fazendo a duplicação da BR-135 pactuaram com a Comissão de Fiscalização Financeira e Controle (CFFC) da Câmara Federal que a obra seria totalmente concluída em abril deste ano.

“Há muito tempo as empresas não cumprem o cronograma e pela enésima vez deixam de cumprir os prazos de entrega da obra. Antes, tinham uma justificativa: falta de recursos. Mas, agora não podem mais alegar falta de dinheiro. Então, por que parou novamente? O contrato prevê punição para o descumprimento do cronograma de execuções da obra. Por isso exigi que as empresas sejam punidas”, afirmou Hildo Rocha.

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Credibilidade é o nosso maior patrimônio

Nosso objetivo é fazer jornalismo com seriedade, produzindo conteúdo regional, sobre política, economia, sociedade e atualidade, na forma de opinião, editorial e criticas. Não usamos de artifícios como sensacionalismo, imagens apelativas, chocantes ou degradantes, tampouco textos, frases, ou palavras chulas para obter acessos.

Não somos o primeiro a divulgar a informação, mas somos quem apresenta o conteúdo checado, aprofundado e diferenciado. Aqui oferecemos aquele algo mais que ainda não foi dito, ou ainda não foi mostrado. Noticias qualquer um pode divulgam, mas com apuração e seriedade só aqui.

Comentários anônimos, ou que contenham, palavrões, pornografia, ataques pessoais, calúnias ou difamações não serão publicados.

Jornalista Abimael Costa

Clinica Santo André

Clinica Santo André