domingo, 28 de maio de 2017

Durante seminário Roberto Rocha anuncia projetos e aquisição de equipamentos




“Temos procurado colocar a mão na massa”, disse o senador, ao anunciar a compra de 15 milhões em equipamentos, como dragas e escavadeiras hidráulicas para o desassoreamento dos rios.



Com o auditório lotado, por ocasião do Seminário “Revitalização dos Rios Maranhenses e suas Nascentes” realizado em Pedreiras, na última sexta-feira, 26, o Senador Roberto Rocha (PSB) reafirmou compromisso com a recuperação das bacias hidrográficas maranhenses. Em coletiva, assim como na solenidade de abertura do evento, Rocha afirmou que a aquisição de máquinas e outros equipamentos que vão possibilitar obras nas margens dos principais rios do estado e também nos municípios banhados por esses rios. As obras serão realizadas por meio da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba – CODEVASF. 



A falta de preservação, principal causa do assoreamento dos rios, tem sido a bandeira do senador, que em parceria com o Instituto Cidade Solidária, idealizou o seminário, e, com o de Pedreiras, já realizou dois eventos com lotação esgotada. O primeiro, em São Luís, aconteceu em março e reuniu quase mil pessoas. 




“Estamos trazendo representantes de órgãos do governo federal para ajudar o principal patrimônio da região do Mearim, após a população. Depois do povo maranhense, o bem mais importante do Maranhão são nossas águas. Sem água não há vida. E a gente só sabe dar o valor para a água quando a fonte seca. Estamos aqui discutindo formas com a sociedade, com os estudantes, o mundo acadêmico, o mundo político, todas as pessoas, buscando formas de enfrentar esse enorme problema”, afirmou Rocha, referindo-se à situação por que passam os rios maranhenses, com suas nascentes prejudicadas por vários fatores, entre eles a ausência de gestão pública.

O senador falou ainda dos recursos viabilizados por meio de emendas e projetos de sua autoria com o objetivo de trabalhar na recuperação dos mananciais e também possibilitar sistemas de tratamento água e esgoto para os municípios, de forma a que os rios sejam poupados de receber dejetos e poluição: “Temos procurado colocar a mão na massa. Compramos 15 (quinze) milhões de equipamentos; entre dragas, escavadeiras hidráulicas e outras máquinas pesadas para fazer o trabalho de desassoreamento dos rios. Vamos fazer projetos de água e esgoto das principais cidades que são cortadas pelos principais Rios, como aqui em Pedreiras.

Fiz questão de trazer o diretor do DENOCS, que toma conta da barragem do Rio Flores, para que possamos de uma vez por todas resolver esse problema da barragem“. Conclui o parlamentar. 

Após o seminário “Revitalização dos Rios Maranhenses e suas Nascentes”, Roberto Rocha, sobrevoou, de helicóptero, a Barragem do Flores, acompanhado do presidente do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas, Ângelo Guerra, que admitiu ter sido providencial a iniciativa do senador em convidá-lo a ouvir a população e outros segmentos, como os representantes do comitê da Bacia do Mearim, durante o seminário.

Como anfitrião, o prefeito de Pedreiras, Antônio França, disse saber da importância da revitalização do Rio Mearim, assim, como os demais Rios do Estado do Maranhão. O gestor afirmou que a administração irá acompanhar todo o processo de recuperação e manutenção da Barragem do Rio Flores, assim como os outros benefícios que virão para os municípios banhados pelo rio Mearim.


Sobre o Rio Mearim

Genuinamente maranhense, O rio Mearim é um curso d'água que banha o estado do Maranhão, nascendo na parte sul do estado do Maranhão na confluência das serras Negra, Menina e Crueiras. Se dirige primeiro para o norte, até a área indígena de Bacurizinho, fazendo as fronteiras nas extremidades oeste e norte, depois de receber, pelo lado direito, o rio Enjeitado, o primeiro dos seus afluentes de importância. Em seguida, continua para o nordeste, atravessando a área indígena de Guajara e passando pela cidade de Altamira. Em seguida a cidade de Barra do Corda (86.662hab. em 2016), onde ocorre o encontro com os rios Corda e Capim.

A partir daí o rio é totalmente navegável (um trecho de 645 km até a sua desembocadura) e segue o seu avanço, mantendo a mesma direção nordeste, até alcançar Axixá e logo, pelo lado direito receber o Rio das Flores (que tem como seu afluente o rio Pacuma).

O rio volta-se para o norte ao longo das cidades de Esperantinópolis, Marianópolis, Pedreiras (39.481 hab.), Trizidela do Vale, São Luís Gonzaga, Bacabal (99.960 hab.) Lapela, Vitória do Mearim (31.234 hab.) e Arari (28.477 hab.). Entretanto, influencia economicamente, devido à produção, a todos os municípios da microrregião do Mearim, que compreende 83 municípios.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Credibilidade é o nosso maior patrimônio

Nosso objetivo é fazer jornalismo com seriedade, produzindo conteúdo regional, sobre política, economia, sociedade e atualidade, na forma de opinião, editorial e criticas. Não usamos de artifícios como sensacionalismo, imagens apelativas, chocantes ou degradantes, tampouco textos, frases, ou palavras chulas para obter acessos.

Não somos o primeiro a divulgar a informação, mas somos quem apresenta o conteúdo checado, aprofundado e diferenciado. Aqui oferecemos aquele algo mais que ainda não foi dito, ou ainda não foi mostrado. Noticias qualquer um pode divulgam, mas com apuração e seriedade só aqui.

Comentários anônimos, ou que contenham, palavrões, pornografia, ataques pessoais, calúnias ou difamações não serão publicados.

Jornalista Abimael Costa

LG Contabilidade Pública

LG Contabilidade Pública

Clinica Santo André

Clinica Santo André