terça-feira, 20 de dezembro de 2016

O Maranhão instituiu a pena de morte por fuga?


A jovem Karina Brito (de Balsas-MA) FOI EXECUTADA, assim como dezenas de jovens nos últimos anos, sem oferecer qualquer risco aos agentes públicos e o Secretário de Segurança Publica reafirma em entrevista que a ação dos agentes foi legitima, em outras palavras, o Maranhão não é Brasil, portanto não vai cumprir a lei federal nº 13.060/14, e instituiu a PENA DE MORTE POR FUGA

A Lei nº 13.060/14, em seu artigo 1º. disciplina “o uso de instrumentos de menor potencial ofensivo” pela Polícia em todo o território nacional. Segundo Cabette, no inciso I o legislador se refere, a duas situações. 

A primeira é o emprego de arma de fogo contra pessoa que simplesmente empreende fuga e está desarmada. Ora, que proporcionalidade, razoabilidade, necessidade ou legalidade haveria em alvejar uma pessoa que simplesmente foge, não apresenta resistência violenta e sequer está armada? Atirar numa pessoa assim é claramente ilegal, constituindo crimes de lesões corporais ou de homicídio doloso conforme o resultado e o “animus” do atirador.

A segunda circunstância em que é ilegítimo o emprego de arma de fogo diz respeito também à pessoa em fuga, só que agora mesmo estando armada, mas não representando “in concreto” “risco imediato de morte ou lesão aos agentes de segurança pública ou a terceiros”. 

Pode aqui parecer que há um exagero garantista, mas não há. O que exige a lei é o cumprimento dos requisitos que legitimam no sistema legal o uso dessa força extremada que consiste no emprego de arma de fogo contra alguém, inclusive de maneira letal. 

Imagine-se que alguém, portando uma faca ou uma pistola, foge da polícia, mas em momento algum ataca os policiais ou sequer empunha a pistola. Qual seria a razão plausível para que fosse alvejada? E pior, simplesmente morta pela força policial? Nenhuma.

A jovem Karina Brito (de Balsas-MA) FOI EXECUTADA, assim como dezenas de jovens nos últimos anos, sem oferecer qualquer risco aos agentes públicos e o Secretário de Segurança Publica reafirma em entrevista que a ação dos agentes foi legitima, em outras palavras, o Maranhão não é Brasil, portanto não vai cumprir a lei federal nº 13.060/14, e instituiu a PENA DE MORTE POR FUGA.

GOSTARÍAMOS DE SABER DO MINISTÉRIO PÚBLICO, DA DEFENSORIA PÚBLICA, DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA, DA SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS DO ESTADO, DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL - O QUE OS SENHORES ACHAM DISSO? O QUE OS SENHORES VÃO FAZER? SILENCIAR EM CONCORDÂNCIA COM O SECRETÁRIO DE SEGURANÇA OU APURAR INCLUSIVE A SUA CONDUTA?

Pela apuracão e punição dos culpados e seus superiores em base a Lei nº 13.060/14.

Chega de violência nas abordagens policiais!

Nossa solidariedade e apoio a família de Karina Brito na luta por justiça.

Centro de Promoção da Cidadania e Defesa dos Direitos Humanos Padre Josimo
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Credibilidade é o nosso maior patrimônio

Nosso objetivo é fazer jornalismo com seriedade, produzindo conteúdo regional, sobre política, economia, sociedade e atualidade, na forma de opinião, editorial e criticas. Não usamos de artifícios como sensacionalismo, imagens apelativas, chocantes ou degradantes, tampouco textos, frases, ou palavras chulas para obter acessos.

Não somos o primeiro a divulgar a informação, mas somos quem apresenta o conteúdo checado, aprofundado e diferenciado. Aqui oferecemos aquele algo mais que ainda não foi dito, ou ainda não foi mostrado. Noticias qualquer um pode divulgam, mas com apuração e seriedade só aqui.

Comentários anônimos, ou que contenham, palavrões, pornografia, ataques pessoais, calúnias ou difamações não serão publicados.

Jornalista Abimael Costa

LG Contabilidade Pública

LG Contabilidade Pública

Clinica Santo André

Clinica Santo André