sexta-feira, 16 de junho de 2017

Presos suspeitos de atacar pescador a pauladas e depois atear fogo ao corpo da vítima em Viana





A polícia Civil através da 6ª Delegacia Regional de Viana, sob o comando do delegado Jorge Pacheco, agiu rápido e conseguiu elucidar o caso da barbárie registrada no ultimo domingo (11), na cidade. Seis maiores de idade foram presos e um adolescente apreendido como suspeitos de participação na trama macabra.

Com uma polução estimada em 51.503 habitantes segundo o IBGE, e distante 220 quilômetros da capital, o município maranhense de Viana foi palco de uma barbárie que abalou e comoveu a população. Um pescador de 46 anos foi agredido por cinco indivíduos que em seguida despejaram um líquido inflamável sobre o corpo da vítima e atearam fogo.

Na madrugada de domingo (11), o pescador Raimundo Roberval Belfort Ferreira de 46 anos, voltava de uma festa tradicional (Ensaio de Bumba Meu Boi), nas imediações da Rua Domingos Barbosa, centro de Viana, quando foi surpreendido por cinco homens que o atingiram a golpes de porretes de madeira. Os agressores despejaram um líquido inflamável sobre o corpo da vitima e em seguida atearam fogo.


Com 90% do corpo queimado, Raimundo foi socorrido e encaminhado ao Hospital Dr. José Murad em Viana e em seguida transferido para o setor de queimados, no Socorrão II em São Luis, onde morreu na tarde da quarta-feira (14).  

Assim que tomou conhecimento do bárbaro crime, o delegado regional Jorge Pacheco, titular da 6ª Delegacia Regional de Viana, iniciou as investigações e promoveu diligências no sentido de elucidar o caso.

Nesta quinta-feira (15), o delegado prendeu os três últimos envolvidos no crime e elucidou o caso.  Ao todo foram presos seis pessoas, e um adolescente apreendido. Os cinco homens são acusados de matar o pescador e as duas mulheres seriam as mandantes.      


Na segunda-feira (12), a policia prendeu Fábio Adriano Romeu Mendes (Farol), 36 anos, Vítor Corrêa de Alcântara, 20, e apreendeu um adolescente de 17 anos, como suspeitos de participação no crime.


Na terça-feira (13), foi preso Elielton de Sousa Santos, o“Poca”, o quarto suspeito preso

Na quinta-feira (15), com as prisões de Leandro Bruno Matos Marques , 24 , Patricia Elk Costa Fonseca, 37, e Uiratania de Cassia Coelho Nogueira ,19 , o delegado Jorge Pacheco conseguiu elucidar o caso e prender todos os envolvidos na ação criminosa.


De acordo com as investigações as duas mulheres seriam as mandantes do crime. Em depoimento as suspeitas afirmaram que a vítima teria “tomado gosto” com elas e que teria “passado a mão” em suas partes íntimas. Por conta disso, elas teriam contratado os cinco homens para “dar uma surra” no pescador Raimundo Roberval.



Ainda segundo a policia, foi Leandro Bruno Matos, quem jogou combustível no corpo da vítima e ateou fogo, ele teria aproveitado o momento em que o pescador agonizava ao chão, por conta das pauladas desferidas pelos criminosos.


Participaram das investigações e prisões os delegados  Jorge Pacheco e Guilherme Augusto, IPCs Aristides, Paulo, Ronildo e EPCs Marcel e Diniz.


Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Credibilidade é o nosso maior patrimônio

Nosso objetivo é fazer jornalismo com seriedade, produzindo conteúdo regional, sobre política, economia, sociedade e atualidade, na forma de opinião, editorial e criticas. Não usamos de artifícios como sensacionalismo, imagens apelativas, chocantes ou degradantes, tampouco textos, frases, ou palavras chulas para obter acessos.

Não somos o primeiro a divulgar a informação, mas somos quem apresenta o conteúdo checado, aprofundado e diferenciado. Aqui oferecemos aquele algo mais que ainda não foi dito, ou ainda não foi mostrado. Noticias qualquer um pode divulgam, mas com apuração e seriedade só aqui.

Comentários anônimos, ou que contenham, palavrões, pornografia, ataques pessoais, calúnias ou difamações não serão publicados.

Jornalista Abimael Costa

LG Contabilidade Pública

LG Contabilidade Pública

Clinica Santo André

Clinica Santo André