quinta-feira, 8 de fevereiro de 2018

Concurso: Antonio Pereira sai em defesa de Joice Marinho, prefeita de Amarante






O deputado Antônio Pereira (DEM) foi à tribuna da Assembleia na última quarta-feira (7), para defender a prefeita de Amarante, Joice Marinho, alvo de críticas do deputado Adriano Sarney, acerca de um concurso público realizado pela ex-prefeita, Adriana Ribeiro. O certame foi considerado ilegal pelo Ministério Público Estadual e pelo Tribunal de Contas do Estado. 

O democrata deixou claro que não é contra o Tribunal de Justiça, que teria dado ganho de causa aos concursados, mas os fatos devem ser esclarecidos, porque o deputado Adriano Sarney abordou o assunto na tribuna da Assembleia Legislativa, classificando a prefeita Joice Marinho de “ilegal e antiética”. 

Para Antônio Pereira, ilegal e antiética é a ex-prefeita que realizou o concurso, em 2014, nunca chamou ninguém e, em dezembro de 2016, após perder a eleição, homologou o certame e deu posse aos 465 candidatos aprovados. “A LRF não permite posse nos últimos 180 dias de mandato. Adriana estava a menos de 15 dias do término do seu mandato”, completou. 

Antônio Pereira esclareceu que não foi a prefeita Joice Marinho que entrou na justiça contra o concurso, homologado no apagar das luzes da gestão de Adriana Ribeiro. Segundo ele, quem recorreu e continua recorrendo è o Ministério Público, baseado em irregularidades no certame e decisão do TCE. 

PLÁGIO E LRF 

O Ministério Público detectou plágio nas provas e, diante disso, entrou com uma ação civil pública, no dia 29/04/2015, pedindo a anulação do certame. Mas, a ex-prefeita Adriana ignorou a ação do MPE, homologou o concurso e deu posse aos 465 candidatos, em dezembro de 2016, no final da sua gestão. 

Já o TCE constatou que a contratação dos 465 candidatos aprovados vai onerar a receita corrente líquida de Amarante em mais de 74%, ultrapassando todos os limites da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), que estabelece um limite máximo de 60% de despesas com folha de pessoal nos municípios.

O parlamentar pediu que o MPE continue recorrendo para anular o concurso ilegal. “Amarante não pode comprometer 74% das receitas líquidas com a folha de pagamento. Joice Ribeiro vai cumprir a decisão judicial, mas acredito que terá que recorrer, se o Ministério Público assim não o fizer”, completou. 

Por fim, Antônio Pereira alertou que a própria prefeita Joice Marinho constatou que se os 465 concursados forem realmente chamados, como decidiu o TJ/MA, fica quase impossível manter os serviços de saúde, educação, limpeza, infraestrutura, iluminação e outros cobrados pelo povo de Amarante.

Assecom/Deputado Antônio Pereira 
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Credibilidade é o nosso maior patrimônio

Nosso objetivo é fazer jornalismo com seriedade, produzindo conteúdo regional, sobre política, economia, sociedade e atualidade, na forma de opinião, editorial e criticas. Não usamos de artifícios como sensacionalismo, imagens apelativas, chocantes ou degradantes, tampouco textos, frases, ou palavras chulas para obter acessos.

Não somos o primeiro a divulgar a informação, mas somos quem apresenta o conteúdo checado, aprofundado e diferenciado. Aqui oferecemos aquele algo mais que ainda não foi dito, ou ainda não foi mostrado. Noticias qualquer um pode divulgam, mas com apuração e seriedade só aqui.

Comentários anônimos, ou que contenham, palavrões, pornografia, ataques pessoais, calúnias ou difamações não serão publicados.

Jornalista Abimael Costa

LG Contabilidade Pública

LG Contabilidade Pública

Clinica Santo André

Clinica Santo André