segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Hildo Rocha defende refinaria e prega prorrogação de mandatos de prefeitos e vereadores





Em entrevista ao jornalista e blogueiro, Djalma Rodrigues, no programa Notícias da Capital, na Rádio Capital, nesta sexta-feira (20) o deputado federal Hildo Rocha (PMDB) voltou a defender a viabilidade econômica da Refinaria Premium I, de Bacabeira, e afirmou que a prorrogação dos mandatos dos atuais prefeitos e vereadores é a melhor alternativa para se unificar as eleições a partir de 2018. 

“Uma das premissas das eleições gerais (eleição no mesmo dia de vereador a presidente da republica) é diminuir os gastos bilionários com as eleições, que oneram os cofres públicos. Entendo que a prorrogação dos atuais mandatos é a forma mais lógica de se atingir essa proposição, é melhor para o Brasil”, argumentou.

Hildo Rocha explicou que a tese defendida pela maioria dos partidos, para que haja coincidência de eleições gerais em 2018, é que a eleição de prefeitos e vereadores, em 2016 seja para um mandato “tampão” de apenas dois anos. Mas, o parlamentar discorda dessa tese. Ele argumentou que a nação seria forçada a bancar uma eleição caríssima para um mandato de apenas dois anos, que impossibilita pela escassez de tempo uma boa gestão.

Hildo Rocha reforçou a defesa lembrando que o país já vivenciou um caso semelhante que se mostrou ineficaz. “Em 1985 Gardênia Ribeiro foi eleita prefeita de São Luis para um mandato de três anos e não foi bem-sucedida justamente pelo pouco tempo que teve para poder desempenhar um bom trabalho”, argumentou.

Hildo Rocha disse que as Políticas Publicas quando elaboradas, nas três esferas administrativas (União, Estados e Municípios), com os mesmos objetivos e executadas ao mesmo tempo o resultado é formidável, mas por causa da não coincidência do início dos mandatos presidenciais, estaduais e municipais, o planejamento econômico e social fica desassociado, trazendo prejuízos incalculáveis ao povo brasileiro.

Atualmente os Planos Plurianuais da União, dos Estados e dos Municípios são efetuados em períodos diferentes. Isso dificulta e acaba tornando o planejamento governamental ineficiente. Por isso, o ideal é prorrogar os atuais mandatos de prefeitos e vereadores para 2018 e neste ano realizaremos eleições gerais. “O futuro vai mostrar que eu estou certo”, afirmou.

Voto facultativo

O parlamentar mostrou-se favorável ao fim da obrigatoriedade do voto. Segundo Hildo Rocha, com o fim do voto obrigatório apenas os eleitores conscientes, aqueles que realmente sabem em quem votar, irão às urnas. Muitas pessoas que não tem preferência por nenhum candidato, mas como é obrigado a votar quer levar vantagem financeira. Para mim o voto é um direito e não um dever. O estado não pode tutelar o cidadão o obrigando a votar. “Em todas as democracias avançadas o voto é facultativo”, argumentou.

Refinaria de Bacabeira

A continuidade da instalação da Refinaria Premium I de Bacabeira ocupou a maior parte do tempo da entrevista. Hildo Rocha foi enfático ao afirmar que O Maranhão possui infraestrutura adequada para receber o empreendimento. 

“O Maranhão é o único Estado do Nordeste que possui três ferrovias – Transnordestina, Carajás e Norte-Sul. Mais de 90% dos municípios maranhenses estão interligados por estradas asfaltadas de boa qualidade, o porto do Itaqui e temos um dos melhores do mundo”, declarou.

Rocha ressaltou que a construção das quatro refinarias, previstas no plano de expansão da Petrobras, tornará o Brasil autossuficiente no refino de petróleo. O adiamento ou cancelamento das obras continuará provocando impactos negativos na balança comercial. 

“O Maranhão possui localização geográfica estratégica. O parque de refino está concentrado no Sul e Sudeste que abriga 82% da capacidade produtiva instalada, mas os estados do Norte, Centro Oeste e Nordeste consomem 40% de todo diesel vendido no Brasil”, asseverou o parlamentar.

Crimes contra a honra

Hildo Rocha falou sobre o Projeto de Lei-363/2015, de sua autoria, que tem como objetivo resguardar a honra das pessoas contra crimes praticados nas redes sociais. O projeto em tramitação acrescenta o inciso V ao Art. 141 do Código Penal. “O PL-363 não proíbe nada, não prevê nenhum tipo de cerceamento da liberdade de expressão. A proposta estabelece o endurecimento das penalidades previstas no Decreto-Lei 2.848, de 7 de dezembro de 1940, aqueles que cometem crimes”, esclareceu.

O parlamentar disse que cada cidadão ou cidadã tem o direito, tem a liberdade de fazer tudo que é permitido dentro dos limites da lei. Mas, aqueles que cometem excessos, que transgridem as normas de convivência, devem estar preparados para responder pelos atos praticados e se submeter às penalidades estabelecidas.

“Existem pessoas que usam as redes sociais de forma perversa, irresponsável. Acabam com a reputação das pessoas com um clic no mouse. Isso é crime e deve ser punido com rigor e a sociedade brasileira clama por isso. Recebi em apenas um dia no meu e-mail mais de três mil mensagens de felicitações pela iniciativa”, afirmou Hildo Rocha.

Reproduzido do blog de Djalma Rodrigues
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Credibilidade é o nosso maior patrimônio

Nosso objetivo é fazer jornalismo com seriedade, produzindo conteúdo regional, sobre política, economia, sociedade e atualidade, na forma de opinião, editorial e criticas. Não usamos de artifícios como sensacionalismo, imagens apelativas, chocantes ou degradantes, tampouco textos, frases, ou palavras chulas para obter acessos.

Não somos o primeiro a divulgar a informação, mas somos quem apresenta o conteúdo checado, aprofundado e diferenciado. Aqui oferecemos aquele algo mais que ainda não foi dito, ou ainda não foi mostrado. Noticias qualquer um pode divulgam, mas com apuração e seriedade só aqui.

Comentários anônimos, ou que contenham, palavrões, pornografia, ataques pessoais, calúnias ou difamações não serão publicados.

Jornalista Abimael Costa

LG Contabilidade Pública

LG Contabilidade Pública

Clinica Santo André

Clinica Santo André