quarta-feira, 19 de outubro de 2016

Agressão contra jornalistas alerta para o perigo do alto nível de intolerância e ignorância



O ataque de intolerância e fúria injustificado de que foi vitima a jornalista Dalvana Mendes, na manha desta quarta-feira (19), no centro de São Luís, e que por pouco e por muita sorte, não resultou em algo bem mais grave não pode e não deve passar despercebido, ser relevado, esquecido ou minimizado.


As agressões físicas e verbais desferidas contra a jornalista, pelo simples fato dela ser identificada como apoiadora, simpatizante, ou militante da campanha do candidato a prefeito Eduardo Braide, alem de abrir um precedente perigoso para que a intolerância e a violência tomem conta da disputa eleitoral, mostra o risco e o perigo a que que estão expostos os comunicadores e formadores de opinião que ousam tomar partido, assumir, escolher, defender e trabalhar por uma proposta, uma candidatura e um nome. 

É preciso garantir a ampla liberdade de expressão e de pensamento, nós jornalistas, blogueiros e comunicadores não podemos mais aceitar que alguns tentem usar a censura, a intolerância, a intimidação e violência como forma vã de tentar calar as nossas vozes.

A jornalista estava no interior de uma lan house, no Centro de São Luís, quando foi agredida fisicamente no pelo proprietário do estabelecimento. Após perceber que Dalvana era simpatizante da candidatura de Eduardo Braide, ele se apresentou como apoiador do candidato Edivaldo Holanda Jr (PDT) e começou a agredir a jornalista. 

Expresso aqui a minha solidariedade a colega Dalvana Mendes, ao mesmo tempo em que repúdio toda e qualquer tentativa, ou ato de censura, intolerância, intimidação ou violência praticado contra profissionais de comunicação.     

Confira o depoimento da jornalista dada minutos após as agressões




No último final de semana, mais precisamente no sábado (15), este jornalista também foi vítima de agressões verbais gratuitas por conta de intolerância política. 


     A intolerância dos derrotados

Sempre que venho a Miranda do Norte faço uma visita ao Bar do Teté, finais de semana, datas comemorativas e feriados quase sempre estou em Miranda, já era tradição reunir amigos e parentes para tomar uma cervejinha e jogar conversa fora, no Teté, nos últimos 12 anos venho fazendo isso regularmente.

Neste periodo passaram se quatro eleições municipais e Teté sempre foi oposição e eu situação, porém isso não interferia em nossa amizade.


Neste sábado (15), estava com familiares e amigos no Bar doTeté quando por volta das 20h, fui surpreendido com Teté aos gritos pedindo que nós nos retirássemos do local, porque segundo ele estávamos citando o nome de seu irmão Joel Montelo em nossa conversa, ou melhor, segunda ele estávamos falando mal de Joel.

Supreso com o injustificável ataque de fúria, tentei em vão justificar e argumentar sobre o mal entendido, não havendo acordo pedi que somasse meu débito, paguei e me retirei do local.

Antes de sair fui claro com Teté, enquanto vida tiver não mais colocarei meus pés no citado estabelecimento comercial.

Jornalista Abimael Costa


Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

Um comentário:

Credibilidade é o nosso maior patrimônio

Nosso objetivo é fazer jornalismo com seriedade, produzindo conteúdo regional, sobre política, economia, sociedade e atualidade, na forma de opinião, editorial e criticas. Não usamos de artifícios como sensacionalismo, imagens apelativas, chocantes ou degradantes, tampouco textos, frases, ou palavras chulas para obter acessos.

Não somos o primeiro a divulgar a informação, mas somos quem apresenta o conteúdo checado, aprofundado e diferenciado. Aqui oferecemos aquele algo mais que ainda não foi dito, ou ainda não foi mostrado. Noticias qualquer um pode divulgam, mas com apuração e seriedade só aqui.

Comentários anônimos, ou que contenham, palavrões, pornografia, ataques pessoais, calúnias ou difamações não serão publicados.

Jornalista Abimael Costa

LG Contabilidade Pública

LG Contabilidade Pública

Clinica Santo André

Clinica Santo André