quarta-feira, 26 de abril de 2017

Manifestantes exigem resposta do judiciário sobre o CASO THALIA



"Sejam mais gentis, por favor. Amem mais, ajudem mais, vêem mais, peguem na mão de pessoas que estão se afogando. Dê sua mão. Dê um sorriso"


Manifestação realizada na tarde desta terça-feira (25), em Santa Inês, reuniu centenas de pessoas em um protesto que cobra agilidade da justiça na elucidação do caso Thalia.    

Professores, alunos, membros do conselho tutelar, representantes do Fórum Maranhense de Mulheres, amigos e colegas da jovem Thalia, participaram do movimento que exige uma resposta imediata para as graves denúncias deixada pela jovem em uma carta. Representantes do movimento foram recebidos pelo pelo delegado regional de Santa Inês, que explicou a impossibilidade da policia em dar detalhes sobre o caso, uma vez que o inquérito corre em segredo de justiça.



A estudante Thalia Mendes Meireles, de 16 anos, filha do empresário José Meireles da Silva, cometeu suicídio no inicio da noite de quinta-feira (13/04). A jovem morava na casa da mãe, na cidade de Monção, onde tirou a própria vida. O corpo da adolescente foi encaminhado ao IML em São Luís, onde depois de periciado, foi devolvido aos familiares

Minutos depois da divulgação da morte de Thalia, surgiu uma carta que teria sido escrita pela jovem, onde ela conta detalhes sobre sua situação e os motivos que a levaram a recorrer ao suicídio. em um trecho da carta existe uma denúncia: "Meu próprio pai me abusou e foi por isso que eu morri por dentro. Eu fui morrendo durante dois anos. Fui vendo minha morte sem poder fazer nada a respeito. Quantos cortes eu nao fiz? Eu até apelei a drogas, o que não resultou em nada. Meu pai iniciou a destruição."

A extensa carta caiu como uma bomba, o relato detalhado do que teria sido a via crucis da jovem Thalia, os inúmeros pedidos de socorro que não foram vistos ou atendidos, o desabafo, as criticas e conselhos deixados pela adolescente causaram muita tristeza, comoção e também serviu como sinal de alerta.

A partir de então a policia passou a investigar o caso, inclusive a autenticidade da carta, ou seja seria mesmo Thalia a autora do texto? Por conta da repercussão do fato, a justiça decidiu decretar o sigilo das investigações. Ou seja o inquérito passa a correr em segredo de justiça, e nada mais pode ser divulgado oficialmente até a conclusão do caso.      

Como desdobramento do caso, a CDL - Câmara dos Dirigentes Logistas de Santa Inês-MA divulgou nota de apoio ao pai de Thalia, Sr. José Meireles da Silva, Diretor financeiro da CDL, condenando as supostas acusações contra Meireles.   

Em Boletim de Ocorrência registrado na delegacia da cidade de Monção, em 14/04, Francimara Rocha Mendes, mãe de Thalia, confirma as denúncias da filha deixadas na carta testamento.

LEIA ABAIXO: 

CARTA DEIXADA POR THALIA

NOTA DA CDL 

BOLETIM DE OCORRÊNCIA 



“Eu sei que a decisão que eu tomei foi totalmente desqualificada e imoral. Quem diabos é para tirar a própria vida? Mas eu posso dizer uma coisa:Pra que serve o livre arbítrio?A vida é minha, a essência é minha. Respeitem.As pessoas passam a vida inteira julgando tudo que vêem. Jogam palavras que não voltam, olhares que machucam, rejeitam, maltratam, usam. Isso dói, tá legal? O ser humano vai guardando isso dentro de si até formar uma grande bola prestes a explodir. Você pode ver uma pessoa sorrindo, parecendo feliz, mas não se engane, sempre há coisas além. Por isso somos cegos. Nunca vemos além.Aquela menina sentada de cabeça baixa tá precisando de ajuda. Mas o que as pessoas fazem? “Fulana está na bad”.Que sociedade maldita. Como se tristeza fosse algo irrelevante, que nao precisa de atenção. Idiotas. Quando é tarde eles se perguntam o que tinha de errado.Pais que não vêem seus filhos se cortando, se drogando, se destruindo. Escolas que não vêem o bulling debaixo do seu nariz.Pais que estrupam os filhos, mães que humilham, irmãos que rejeitam.Malditos. Malditos.Tudo isso acima faz a mente humana enlouquecer, sabia? Ela definha, fica angustiada e cheia de coisas inexplicáveis, pensamentos perigosos. Você vê no jornal aquele jovem que matou inúmeros estudantes e julga. Já parou pra pensar o que levou ele fazer aquilo? Será que não foi a hipocrisia e idiotice da sociedade?Essa sociedade que nos coloca em um lugar durante anos, em total humilhação e depois quer escolher um futuro pra nós.Ninguém nunca vê. Até que é tarde.Eu não queria morrer. Eu penso que tenho um futuro pela frente. Eu sei que tenho. Tnho mais amigos para fazer, mais músicas para escutar, mais pessoas para namorar, mais shows para ir. Tanta coisa.Mas sabe o que eu e outras milhões de pessoas pensam sobre isso? “Eu não tenho força de vontade para continuar. Eu não sou forte, eu não consigo seguir em frente sem derrubar mais uma lagrima”.Sejam mais gentis, por favor. Amem mais, ajudem mais, vêem mais, peguem na mão de pessoas que estão se afogando. Dê sua mão. Dê um sorriso.Eu tenho inúmeros motivos para ter feito o que fiz. Meu próprio pai me abusou e foi por isso que eu morri por dentro. Eu fui morrendo durante dois anos. Fui vendo minha morte sem poder fazer nada a respeito. Quantos cortes eu nao fiz? Eu até apelei a drogas, o que não resultou em nada. Meu pai iniciou a destruição.Minha mãe me tirou minha rotina e passou a assistir tudo em total inconsciência. Eu sei que ela via, mas quem disse que ela percebia? Ela era uma mãe tão atenciosa, o que aconteceu? Porque ela ficou tão alheia?Porque ela demonstra amar mais a meu irmão? Porque ela não me ama? Porque ela não me abraca e me beija assim como ela faz com meu irmão?Porque ela me humilha por causa de um erro tão pequeno?Porque ela não pergunta como foi meu dia na escola? Porque ela não quer saber o motivo de eu estar tanto tempo trancada no quarto? Porque ela não pergunta o motivo de eu usar tanta blusa de manga comprida?Ela ta deixando eu morrer sem fazer nada. E eu não quero as lágrimas de meus pais. Eu sentiria nojo delas. Eu sentiria nojo porque eu passei a odiar meu pai e odiar minha nova mãe. Porque eu ainda amo aquela mãe que me abraçava e me beijava. É como se ela não me amasse mais porque fui usada pelo meu pai, como se ela sentisse nojo de mim. Sim, ela sabe do abuso, mas jogou pra debaixo do tapete. Assim como aquela maldita escola em que eu passei os piores momentos da minha vida.Eu ja tentei suicídio outras vezes. E isso e é horrível, porque eu já sei a sensação.Pensar em suicídio é uma coisa, mas planejar e ir no ponto é outra.Dá aquele aperto no peito, aquela sensação de frio na barriga. “O que acontecerá depois disso?” Eu não acredito em deus, eu creio que depois disso não há nada.Mas enfim, fazer isso é difícil. Eu sou muito covarde. Eu irei deixar muita coisa no mundo e o mundo ira perder muita coisa. Eu sou diferente. Eu sou uma daquelas pessoas que os outros precisam .As vezes acho que sou hipócrita porque eu vejo pessoas depressivas e vou ajudar, dar conselhos, tirar a pessoa daquela situação. Mas eu não faço isso comigo. Porque não dá mais.Droga, eu queria tanto ficar aqui. Porque ninguém me ajudou antes?Ontem vi pessoas dizendo que a série 13 reasons why influência jovens a se suicidarem. Mas eu não acho isso.Eu Estava planejando tirar minha vida a meses e essa serie só fez eu parar e pensar: Estou prestes a fazer algo muito idiota”. Sim, eu tinha desistido de tirsr minha vida por causa de uma série, mas depois algo mudou. Eu voltei com a decisão .Então eu digo: Eu não me matei porque uma serie me influenciou, não pensem isso .Eu me matei porque eu não aguentava mais existir assim. Eu ja estava morta, o que mais eu serviria nesse mundo? Uma garota totalmente sem essência, sem nada por dentro. Já imaginou um oceano no meio da tempestade? O céu escuro? É assim dentro de mim. Mas tudo silencioso. Tudo muito destruído e silencioso. Tudo muito angustiante e doloroso. É dificil acordar de manhã e pensar:“Mais um dia em que irei ter lembranças más” “Mais um dia ao lado de pessoas que não me amam, que me odeiam””Mais um dia sentindo uma imensa vontade de chorar em todos os momentos” “Mais um dia desejando morrer”Então eu quero pedir que sejam mais tolerantes. Depressão não e é frescura. Não neguem ajuda a aqueles que estão angustiados, no fundo do poço.E quando forem se lembrar de mim, pensem em uma Thalia verdadeira. Aquela feliz que vocês viam era total mentira.”AdeusThalia Mendes Meireles.

NOTA CDL
 Santa Inês,-MA 14.04.2017




A CDL (Câmara dos Dirigentes Logistas) de Santa Inês-MA, no uso de suas atribuições, vem prestar condolências ao Sr. José Meireles da Silva, nosso Diretor financeiro, bem como aos familiares e amigos, pela morte trágica e prematura de Thalia Mendes Meireles, sua filha.

Oportunamente, vem repudiar toda e qualquer veiculação de notícias publicadas e/ou compartilha das por meio das redes sociais, a respeito dos motivos que levaram Thalia Meireles a cometer suicídio, e que envolvam levianamente o nome de seu genitor, neste momento de luto e dor.

Imperioso ressaltar que a Constituição Federal/88 prevê em seu Art.5°, LVII: "...que ninguém será considerado culpado até o trânsito em julgado de sentença penal condenatória".

Assim, a publicação e/ou compartilhamentos de fatos que denigrem a imagem de um cidadão, sem respeitar o princípio da inocência, é repudiada por essa instituição, além de constituir-se em prática criminosa, sujeita à responsabilização de quem der causa com as devidas sanções legais.
Por fim, confiamos que as autoridades policiais esclarecerão toda a verdade acerca do fatídico e lamentável falecimento da jovem Thalia Meireles.

João Nojosa de Souza, Presidente.


BOLETIM DE OCORRÊNCIA 






NOTA DO FÓRUM MARANHENSE DE MULHERES  

JUSTIÇA E PUNIÇÃO PARA AGRESSORES, ESTUPRADORES: chega de violência contra as mulheres.

O Fórum Maranhense de Mulheres, entidade que agrega grupos feministas e de mulheres, vem a público manifestar sua preocupação e indignação contra a onda de violência que tem atingido as mulheres neste Estado, a forma banalizada como vem sendo tratada pela imprensa e pela pouca atenção dada pelos órgãos do Estado no sentido de construir políticas mais eficazes para coibir os abusos e enfrentar o fenômeno da violência combatendo a impunidade. 

Nestas duas últimas semanas nos deparamos com a violência ultrapassando os muros das universidades, fato evidenciado na Universidade Federal do Maranhão, quando uma aluna foi estuprada. A esse caso se somam outros tantos que acontecem nas escolas, dentro dos lares, sem que a sociedade tome conhecimento.

Nos deparamos ainda, com um episódio envolvendo uma menina de 15 anos no Município de Monção, que acusa seu pai através de carta, de tê-la estuprado há dois anos, levando-a ao suicídio. Neste caso em especial a mãe através de Boletim de Ocorrência confirma acusações da filha. Mesmo com esse Boletim, o delegado que cuida do caso não considera ter indícios para prender o acusado. 

Outro fato aconteceu semana passada envolvendo o Secretario de Comunicação do Município de Morros acusado de agredir a ex-esposa, depois de tê-la amarrado e lhe batido de cordas. O Secretario é reincidente neste tipo de ato, ou seja, não é a primeira vez que agride mulheres, mesmo assim nenhuma providência foi tomada no sentido de prendê-lo. 

Em Timon o vice-presidente do PCdoB é preso por estuprar duas meninas de 10 e 12 e há suspeita de que também abusava de uma outra menina de 13 anos. A denúncia foi feita pela mãe das meninas, fato que levou o estuprador a ser preso. É necessário pressão para mantê-lo na prisão, é preciso também expurgá-lo da política. Este tipo de gente não merece fazer parte de um Partido político decente. 

Ainda na semana passada um escritor conhecido dos meios culturais, assedia e tenta estuprar uma jovem no Bar Chicos Discos, sob os olhares de grande parte dos presentes. A vítima estava em companhia de duas amigas que também foram agredidas e fizeram Boletim de Ocorrência da agressão. O agressor pede desculpas e considera o fato encerrado pelo pedido de desculpas.

Neste caso houve bastante debate nas redes sociais e muita polêmica, alguns blogueiros acusam as vítimas de estarem polarizando sem razão, de quererem sangue, como se o simples fato do escritor pedir desculpas, o redimisse do ato violento. 

Esses episódios recentes que nos chocam pela forma como são tratados pela imprensa e redes sociais, que muitas vezes distorcem o caso, ou não veiculam noticias que envolvem pessoas que tem poder aquisitivo elevado, caso do comerciante acusado pela filha de estuprá-la e que a imprensa não cita, não comenta e parece ignorar o caso jogando a culpa no padrasto da menina.

O caso do escritor agressor que é redimido em vários blogs e as vítimas são culpabilizadas de denunciar o fato na Delegacia e de divulgarem o ato de violência.

Por esta razão o Fórum Maranhense de Mulheres repudia as atitudes não somente dos agressores e estupradores, mas daqueles que são coniventes com o problema. Conclamamos todos para refletir sobre o aumento dos casos que atingem as mulheres e apelamos para a solidariedade da sociedade para a criação de uma grande Rede de Enfrentamento da Violência contra as Mulheres em todos os Municípios maranhenses.

Solicitamos o apoio dos órgãos de imprensa para não dar trégua aos agressores e estupradores de mulheres, aos Partidos que desfiliem homens envolvidos em agressões de mulheres, escolas e universidades que punam e demitem professores envolvidos em agressões a alun@s, mães e pais que adotem uma educação sem relações de gênero com as crianças, assim vamos começar a criar uma nova cultura neste Estado. 

Mary Ferreira, Neuzely Pinto Almeida, Dayana Roberta Gomes
Coordenação do Fórum Maranhense de Mulheres
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

Um comentário:

  1. Acrescentamos que Thalia Mendes Meireles, antes do suicídio, denunciou os abusos morais e sexuais que sofreu durante dois anos.

    A lebre da baleia azul foi levantada pelo próprio pai, José Meireles da Silva.

    Escrevi artigo sobre o caso Thalia e analiso a lenda da baleia azul. Leia

    http://talisandrade.blogs.sapo.pt/1027.html

    ResponderExcluir

Credibilidade é o nosso maior patrimônio

Nosso objetivo é fazer jornalismo com seriedade, produzindo conteúdo regional, sobre política, economia, sociedade e atualidade, na forma de opinião, editorial e criticas. Não usamos de artifícios como sensacionalismo, imagens apelativas, chocantes ou degradantes, tampouco textos, frases, ou palavras chulas para obter acessos.

Não somos o primeiro a divulgar a informação, mas somos quem apresenta o conteúdo checado, aprofundado e diferenciado. Aqui oferecemos aquele algo mais que ainda não foi dito, ou ainda não foi mostrado. Noticias qualquer um pode divulgam, mas com apuração e seriedade só aqui.

Comentários anônimos, ou que contenham, palavrões, pornografia, ataques pessoais, calúnias ou difamações não serão publicados.

Jornalista Abimael Costa

Clinica Santo André

Clinica Santo André