INSCREVA-SE JÁ

domingo, 24 de maio de 2015

CHACINA - Homens encapuzados invadem festa de aniversário e matam três pessoas em São Luis














A insegurança e a violência tomam conta de São Luís e do Maranhão, infelizmente mais três inocentes foram mortos de forma covarde e cruel enquanto se confraternizavam em uma festa de aniversário. Um policial militar, uma acadêmica de direto e um produtor musical foram executados a tiros, em uma chacina na noite deste sábado (23) em São Luís.   

O Governo do Estado e a Secretaria de Segurança Pública até às 15h deste domingo (24), ainda não haviam se manifestado sobre o caso, nenhuma nota explicativa ou de pesar foi divulgada, é preciso que o governo fale e assuma a sua responsabilidade, chame para si os bônus, mas também os ônus de ser governo, o povo espera por uma resposta, não dá mais mais para suportar tanta violência.  

Amigos que participavam de uma confraternização na noite deste sábado (23), em uma  casa de praia no Residencial Ponta Verde, praia de Panaquatira -São José de Ribamar - Região Metropolitana de São Luís, foram vitimas de uma chacina.

Eles celebravam o aniversário de Shirley Caroline Machado Martins, quando por volta das 21h, foram surpreendidos por seis homens armados e encapuzados que invadiram a casa, - três entraram pela frente enquanto os outros três vieram pelos fundos. - e passaram a disparar contra os participantes da festa.




Informações extra oficiais, dão conta de que ao perceber que tratava-se de uma ação criminosa, o policial militar Max Miller, de 27 anos, lotado no 6º Batalhão, localizado na Cidade Operaria, que estava na confraternização, reagiu a investida dos criminosos, alvejando um dos suspeitos que morreu no local. Os marginais então revidaram e passaram a disparar contra os participantes do aniversário.

Os tiros atingiram oito pessoas, sendo que duas morreram no local e a terceira morreu minutos depois de dar entrada no Socorrão II, outras cinco pessoas continuam internadas, o estado de saúde das vitimas que forma socorridas e levadas para hospitais da cidade não foi divulgado.
Max Miller 
Ananda Brasil
Alexandro Carvalho

Os mortos foram identificados como sendo, Max Miller, de 27 anos, polcial militar lotado no 6º Batalhão, na Cidade Operaria, O produtor musical Alexandro Carvalho de 36 anos e Ananda Brasil, de 20 anos, estudante de direito do Instituto Florence, que morreu  depois de dar entrada no hospital Socorrão II. Max Miller era irmão da jornalista Adria Rodrigues .

O marginal morto durante troca de tiros com o policial foi identificado como Valbenilson Santosa Lobato, de 19 anos. Josinaldo Aires da Costa, (27), “Nal Panaquatira”, suspeito de participar da chacina, foi morto na madrugada de domingo durante confronto com a policia .

Eric Rodrigues de Carvalho, irmão do policial militar assassinado, Allison José Fonseca da Silva, Ana Paula Ferreira de Sousa, Carlos Eduardo Silva e Shirley Caroline Machado Martins, a aniversariante, forma feridos e continuam internados em hospitais da capital. 

O corpo do Policial militar Max Miller está sendo velado na Igreja Batista do Jardim América. Avenida 2, lote 01, nas proximidades do Caic, entrando na padaria Martins. o enterro sera amanha as 9h, no cemitério Jardim da Paz.

Enquanto amigos das vitimas se manifestam nas redes sociais, até o momento 
(15h00 - 24/05/15), nenhuma nota sequer do governo do estado ou da Secretaria de Segurança do Estado do Maranhão sobre o caso.


A VIOLÊNCIA SE ALASTRA.
Perdí mais um amigo com essa violência toda, vítima da Chacina em Panaquatira.
Alex, hoje empresário de bandas, conhecido por "Cachorrão" trabalhou comigo no curso Exclusivo, era digitador, foi percussionista do grupo Q SAMBA.
O corpo segue pra Anapurus, onde mora a sua família.
Sempre alegre e brincalhão, Alex foi vitimado covardemente por um tiro na cabeça quando se encontrava na piscina, numa festa de aniversário de amigos em Panaquatira, onde bandidos invadiram a residência.
Pésames às Famílias de todas as vítimas dessa horrível chacina.

sábado, 23 de maio de 2015

Justiça do Trabalho condena Funac a cumprir obrigações no prazo de 60 dias



O Ministério Público do Trabalho no Maranhão (MPT-MA) determinou que o Governo do Estado e a Fundação da Criança e do Adolescente (Funac) cumpram 24 obrigações de fazer e não fazer nas unidades da Funac em São Luís em um prazo de 60 dias, sob pena de multa de 50 mil reais por item desrespeitado.

A decisão liminar é fruto de uma ação civil movida pelo Ministério Público do Trabalho no Maranhão (MPT-MA) por conta de irregularidades no meio ambiente de trabalho. As investigações foram iniciadas em 2012, graças à denúncia do Ministério Público do Estado. Desde então, o MPT inspecionou diversos centros da juventude mantidos pela Funac e ainda obteve relatórios do Corpo de Bombeiros e da Vigilância Sanitária de São Luís, que confirmaram a precariedade das condições de segurança, saúde e higiene do trabalho.

“As condições das instalações físicas das unidades da Funac são precárias e não oferecem aos trabalhadores que ali laboram as condições mínimas de segurança e de conforto compatíveis com a dignidade da pessoa humana”, lamentou a procuradora responsável pelo caso, Anya Gadelha Diógenes,

 “É imperioso observar que a violação e o descaso com as normas de segurança, higiene e saúde no serviço público colocam em risco a vida, a saúde e as integridades física e psíquica dos servidores que laboram nas unidades da Funac”, acrescenta a procuradora. 

Durante audiência realizada no último dia 20 de maio, a presidente da Funac, Elisângela Cardoso admitiu a precariedade do órgão. “Há um sucateamento da estrutura. Inclusive estuda-se a declaração de estado de emergência, pois nos últimos anos não houve avanços no que foi pactuado e isso também se estende aos funcionários”, disse.

Segundo nota do MPT, o Estado pode recorrer da decisão.

sexta-feira, 22 de maio de 2015

Um exemplo de jornalismo - A coragem de fugir do óbvio e mostrar o outro lado



O caso do médico Jaime Gold, de 57 anos, que morreu na manhã de quarta-feira (20), após ser assaltado e esfaqueado por um adolescente de 16 anos na noite de terça-feira (19), enquanto passeava de bicicleta pela Lagoa, Zona Sul do Rio, repercutiu em todo o Brasil e no exterior. O fato foi capa de jornais mundo afora e colocou ainda mais lenha no debate sobre a redução da maioridade penal.

A grande maioria dos jornais, portais de noticias, blogues, redes de TV e emissoras de radio, preferiu aderir ao discurso único proferido pela maioria da população brasileira, - segundo pesquisa 80% dos brasileiros são favoráveis a redução da maioridade penal -. O foco do caso foi mostrar que este é um exemplo de que necessitamos reduzir já a idade penal para responsabilizar adolescentes cada vez mais cruéis e sanguinários. A mídia se encarregou de transformar o jovem adolescente em um monstro que com 16 anos já passou 15 vezes pela policia. A reação do público foi imediata, os comentários nas redes sociais demostram bem o efeito do discurso direcionado. 

Na contramão da história, a jornalista Carolina Heringer, do jornal Extra, decidiu inverter a logica e contar outra história. a jornalista foi pesquisar a vida do adolescente, quem ele era, aonde nasceu, quem são seus pais, aonde estudou.

Carolina encontrou uma grande história, que até então estava escondida, ninguém conhecia a vida do anonimo e invisível adolescente que só se tornou conhecido e passou a estampar as paginas de policia dos jornais  na quarta-feira (20), quando foi apreendido como suspeito de assassinar o médico Jaime Gold.

Carolina Heringer, produziu um excelente material que foi publicado na edição do Jornal EXTRA  desta sexta-feira (22), Duas tragédias antes da tragédia - SEM FAMÍLIA SEM ESCOLA 

A jornalista foi feliz e está de parabéns porque através de um outro olhar, através de um recorte diferenciado o invisível veio a tona, Carolina mostrou o que ninguém tinha mostrado, foi atrás do outro lado da história, conseguiu contar uma grande história e fazer o contraponto. Esta tragédia é resultado de outras duas que quando aconteceram não foram capa de jornais. Nesta tragédia o adolescente e apontado como culpado e de quem a culpa das outras duas??

Jornalistas como Carolina Heringer, engrandecem o jornalismo e fazem reascender a esperança de que ainda existe uma saída para o jornalismo no Brasil, e que apesar de muitas desilusões ainda vale a pena ser jornalista neste país. 



Desde 2010, foram 15 passagens na polícia, em uma das passagens, em 25 de outubro de 2010, os policiais afirmam que X. e outro menor estavam passando fome, sem dinheiro para voltar para casa.
Em janeiro de 2011, os pais do adolescente foram indiciados por abandono. Em depoimento à polícia a mãe do adolescente, de 55 anos, mostrou que já sabia que o filho estava trilhando o caminho do crime. Catadora de latas, papelão e garrafas pet, ela relatou que o menino cometia roubos e furtos desde 2010, e que ele já tinha aparecido em casa com um cordão de ouro. Ela contou ainda que o filho era usuário de maconha, e acreditava que muitas vezes ele comprava drogas com o dinheiro obtido em roubos.
A mãe, viúva do primeiro marido há 20 anos, relatou ainda que o pai de X. não participou da criação do filho, e sequer ajuda a sustentá-lo. O próprio menino relatou àpolícia que só viu o pai duas vezes na vida.
Aos 12 anos, ao ser recolhido na rua pelos policiais, X. contou que costumava matar aula para ir à praia no Leblon e em Ipanema. Segundo o adolescente, sua mãe não sabia que ele ficava perambulando nas ruas. Ele dizia que jogava futebol.
No início de 2013, no entanto, abandonou a escola. De acordo com a Secretaria municipal de Educação, X. estudou em unidades da prefeitura por nove anos, de 2003, ainda na pré-escola, até 2012, no 6º ano.
A última passagem de X. por unidades para menores infratores foi em janeiro deste ano, quando foi apreendido por furtar bicicletas no Jardim Botânico, também na Zona Sul do Rio. O adolescente ficou na unidade do Degase por menos de um mês, do dia 16 até 13 de fevereiro. De lá, foi para uma unidade para menores em semiliberdade, de onde acabou fugindo.
Das 15 passagens de X. pela polícia, oito foram por roubo, três por furto, uma por desacato, uma por posse de drogas, outra por tráfico, e, a última, por estar portando uma faca. Nessa ocasião, o adolescente foi pego na Avenida Vieira Souto, em Ipanema, por dois policiais militares. Ele tinha acabado de esconder uma faca de cozinha na areia . Ao ser levado para a delegacia, falou aos policias que era morador do Morro do Cantagalo , em Ipanema.
Numa de suas passagens pelo Degase, X., junto com outros adolescentes, acusaram agentes socioeducativos da Escola João Luiz Alves, na Ilha do Governador, de tortura. A denúncia foi feita em dezembro de 2012, mas o fato teria acontecido em setembro do mesmo ano.
Leia mais: http://extra.globo.com/casos-de-policia/menor-suspeito-de-morte-na-lagoa-deixou-escola-aos-14-anos-so-viu-pai-duas-vezes-era-negligenciado-pela-mae-16230681.html#ixzz3av85wtmh

Hildo Rocha prestigia lançamento do Centro de Estudos Tributários





O deputado federal Hildo Rocha participou do lançamento do Centro de Estudos Tributários, Aduaneiros e Previdenciários – Cetap promovido pelo Sindicato Nacional dos Auditores-Fiscais da Receita Federal do Brasil - Sindfisco. A solenidade, que foi conduzida por Claudio Márcio Damasceno, presidente do Sindfisco, aconteceu nesta quinta-feira (21) no Auditório Freitas Nobre, da Câmara Federal. Na oportunidade também foi oficializada a criação do Canal de Atendimento ao parlamentar – Cap.

O parlamentar ressaltou que o trabalho dos Auditores-Fiscais é importante para o desenvolvimento do país porque a categoria ajuda a arrecadar recursos para o governo investir em serviços públicos. “Os legisladores aprovam as leis que buscam fazer justiça social por meio da arrecadação de tributos. O trabalho dos auditores é de fundamental importância para que a lei seja cumprida e os tributos sejam arrecadados, possibilitando assim, a efetivação da justiça social”, ressaltou Rocha.

Os deputados federais, Izalci Lucas Ferreira (PSDB/DF), Luiz Carlos Caetano (PT/BA) e Zé Carlos (PR/MA) também prestigiaram o evento.

Bem Viver divulga Nota de Esclarecimento




O governo do Maranhão é conivente?



As imagens falam por si só. Um vídeo de dois minutos e meio divulgado no Youtube pelo jornalista Gilberto Leda, mostra quatro homens imobilizados, deitados no chão sendo agredidos e torturados por um homem sem camisa, apenas de bermuda que grita a todo instante dizendo ser policia, um policial também participa das agressões.

Ao lado dos homens imobilizados é possível ver uma viatura da Policia Militar e três policiais que participam da operação. Depois das agressões os homens são colocados na viatura que deixa o local.



A ação policial registrada neste vídeo precisa ser explicada pelo governo do Estado, pelo secretário de Estado de Segurança Pública, Jefferson Portela e pelo comandante geral da PMMA, coronel Marco Antonio Alves da Silva. Afinal os policiais agiram de forma correta e dentro do que determina a lei? ações como estas tem o apoio e o respaldo dos governo do estado e dos órgãos de segurança publica? E este o novo modelo de segurança publica implantado no Maranhão?

Este jornalista não emitirá juízo de valor sobre a ação policial. mas certamente não se furtará de cumprir com o dever de comunicador social e de cidadão cobrando das autoridades competentes respostas para ações deste tipo. 

quinta-feira, 21 de maio de 2015

População de Matões do Norte vive clima de violência e insegurança




Distante 138 quilômetros de São Luís, com uma população estimada pelo IBGE em cerca de 15 mil habitantes e localizado as margens da BR-135, o pequeno, e até bem pouco tempo, pacato município de Matões do Norte, vem sofrendo com uma crescente onda de violência que vem causando panico e desespero na população. Os moradores da cidade estão assustados com os crimes que vem ocorrendo  ali nos últimos dias e já se mobilizam para cobrar uma atitude dos órgãos de segurança.  

Informações sobre o paradeiro do veiculo podem ser repassadas para: 
(98) 98731-8282

Na madrugada desta quinta-feira (21), cinco homens fortemente armados tomaram de assalto um táxi na MA 322. O veículo Ford Fiesta 1.6 flex vermelho 2013 placa OIZ 8585  era conduzido pelo proprietário, o taxista José dos Santos da Silva.

O crime aconteceu na MA 322 por volta das 2h da manhã desta quinta, quando José dos Santos retornava de Cantanhede. O taxista teria saído de Matões do Norte por volta das 23h para deixar algumas pessoas em Cantanhede, quando retornava para Matões do Norte, onde reside, José dos Santos, teve o carro interceptado por cinco homens que após tomar o veículo, deixaram a vítima amarrada dentro do mato e tomaram rumo ignorado. 

Horas depois o taxista conseguiu se soltar, e foi até a Delegacia Regional de Miranda do Norte, onde registrou Boletim de Ocorrência. Até o momento o veículo ainda não foi localizado.

No domingo, (17), por volta das 10h da manhã, o jovem identificado como Bruno da Silva, teve a sua moto Titan de cor vermelha, tomada de assalto por dois homens armados quando transitava na estrada vicinal que liga Matões do Norte ao Povoado Marajá. O condutor da motocicleta foi amarrado e deixado às margens da vicinal. 

Na tarde desta quinta-feira, uma família de Matões do Norte viveu momentos de pânico e terror.  A família recebeu uma ligação em que um homem afirmava ter sequestrado a filha da dona da casa, o homem exigia um deposito no valor de dez mil reais para  liberar a jovem. Os familiares entraram em desespero, já que a jovem reside atualmente em São Luis. O golpe do falso sequestro não se concretizou  porque um parente ligou para a jovem e confirmou que ela estava sã e salva eu que tudo não passava de um trote, ou mais um caso de aplicação do golpe do falso sequestro. 


Hildo Rocha conclui Relatório do Livro Agronegócio do novo Código Comercial



O deputado federal Hildo Rocha afirmou nesta terça-feira, 19, que Relatório do Livro do Agronegócio, tema que irá compor o novo Código Comercial brasileiro, está concluído. O parlamentar enfatizou que o parecer foi elaborado após ampla discussão com representantes desse importante segmento econômico do país. “Por se tratar de um tema novo, complexo e relevante, o relatório foi elaborado com extraordinária dedicação”, afirmou.

Segundo o relator, a estrutura do Livro é composta de três capítulos: o primeiro voltado à definição dos conceitos fundamentais do direito do agronegócio; o segundo aborda os contratos do agronegócio; e, finalmente, o último, é dedicado aos títulos do agronegócio.

Hildo Rocha disse que a ideia é, rever os comandos legais hoje existentes no Código Civil; examinar outras leis esparsas; e delinear princípios aplicáveis entre empresários. “Trabalhamos com a definição de agronegócio como uma cadeia integrada de operações estruturadas que liga contratualmente empresários cuja atividade consiste na produção ou comercialização de bens agrícolas, pecuários, de reflorestamento, ou pesca, bem como fornecimento de insumos, financiamentos ou logística”, esclareceu.

A proposta do novo Código Comercial tramita na Comissão Especial criada na Câmara para debater o assunto. O relatório do deputado Hildo Rocha deverá ser apresentado na próxima semana.

Antônio Pereira aponta solução para evitar tragédia anunciada na Região Tocantina



O deputado Antônio Pereira (DEM) defendeu a união dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, para consolidar os limites territoriais entre os municípios de Senador La Roque, João Lisboa, Amarante do Maranhão, Buritirana, Davinópolis e Imperatriz, e evitar uma tragédia anunciada na Região Tocantina. 

A defesa foi feita na tarde de quinta-feira (20), quando Antônio Pereira participou de reunião da Comissão de Constituição e Justiça da Assembleia Legislativa, acompanhado da deputada Valéria Macedo (PDT) e dos deputados Marco Aurélio (P C do B), Léo Cunha (PSC), Eduardo Braide (PMN) e Fábio Braga (P T do B). 

Também participaram da reunião o prefeito de Senador La Roque, Chico Nunes, acompanhado do vereadores Reinaldo Sampaio, Bartolomeu Alves, das vereadoras Ana de Kássia, Ozima Cury, Deusinete Gomes, Maria Barroso e do representante da Secretaria de Planejanento (Seplan), Josiel Fereira. 

SOLUÇÃO FINA

Na reunião, Antônio Pereira revelou que existe um conflito social na Região Tocantina, por conta da indefinicação dos limites territoriais. “A solução inicial será a realização do plebiscito, proposto pela deputada Valéria Macêdo e aprovado pela Assembleia Legislativa, no dia 14 de maio de 2014”, sugeriu. 

O Decreto Legislativo da deputada Valéria Macedo pede que o TRE realize um plebiscito, fora do período eleitoral, com os eleitores de Senador La Roque e Buritirana. A consulta saberá se os eleitores aceitam ou não os desmembramento dos povoados de Buritirana e a anexação ao Município de Senador La Roque. 

O democrata acha que a solução final será a aprovação do seu projeto de lei 060/2014, alterando a Lei 6.169 e consolidando os limites entre Senador La Roque, João Lisboa, Amarante do Maranhão, Buritirana, Davinópolis e Imperatriz. O projeto está tramitando na Comissão de Constituição e Justiça da Assembleia. 

VONTADE POLÍTICA 

Antônio Pereira disse que a Assembleia está disposta a aprovar seu projeto, mas no momento a solução depende do TRE, que já sinalizou que vai enviar o pedido de plebiscito ao TSE. “O governador também já prometeu a aporte financeiro para a realizar o plebiscito. Falta agora união e vontade política”, defendeu. 

Na ocasião, Antônio Pereira informou que Senador La Roque tinha uma população estimada em 20.793 habitantes, divididos numa área de 1.236,868 km2. Hoje, com as questões de litígio territorial com os municípios de João Lisboa e Buritirana, a população caiu para 14.315 habitantes e a área territorial para 746,74 km2.

O parlamentar revelou que mesmo com a população e a área territorial reduzidas, o Município de Senador La Roque é responsável pelas políticas de saúde de educação, saneamento básico, infraestrutura, vacinação, e funcionários dos quinze povoados transferidos, por medida judicial, para João Lisboa e Buritirana.

ERRO MATERIAL 

Senador La Roque foi criado pela Lei 6.169/94, a “Lei de Criação dos Municípios”, e desde então teve seus limites territoriais contestados, porque assumiu os 34 povoados que participaram do plebiscito de 1994. Para tentar resolver o problema, a Assembleia aprovou a Lei 265/2001, de autoria do ex-deputado Hélio Soares.

Para Antônio Pereira, aconteceu um “erro material” na lei porque não houve plebiscito. Em 2009, Buritirana ganhou o direito de controlar os povoados Olho D’ Água, Cajá Branca, Jenipapo, Novo Horizonte, Assentamento Belém, Assentamento Tabuleirão, Centro dos Machados, Ingarana, Passondas e parte do Açaizal.

A mesma posição foi tomada por João Lisboa, que em 2010, alegando inconstitucionalidade, ganhou o direito de controlar os povoados Arapari, Jatobá, Centro do Zezinho, Centro do Toinho, Lagoa da Cigana, Pingo de Ouro e Alvorada I e III. Depois da decisão da justiça, a arrecadação de Senador La Roque caiu 30%.

PROTESTOS E PRISÕES 

O prefeito de Senador La Roque, Chico Nunes (PV), reclama que desde 2010 João Lisboa e Buritirana recebem recursos das áreas em litígio, mas não fazem investimentos. “Buritirana e João Lisboa querem assumir os povoados à força, contra a vontade do povo, que protesta contra a divisão territorial”, denuncia. 

Chico Nunes revelou que as consequências para Senador La Roque são desastrosas, pois o cálculo de FPM caiu de 1.4 pra 1.0, causando queda de R$ 8 milhões na arrecadação municipal. “Vereadores e manifestantes estão protestado, entrando em confronto com a polícia e presos. É uma tragédia anunciada”, alerta. 

Os vereadores pediram empenho dos deputados para resolver o problema junto às autoridades competentes, pois o litígio está provocando insegurança e prejuízos para população de Senador La Roque, que depois da queda da arrecadação municipal deixou de receber os benefícios federais, principalmente o Bolsa Família. 



Hildo Rocha destaca resultados da 30ª Assembleia do Parlatino







Em pronunciamento na tribuna da Câmara Federal, nesta terça-feira (19), o deputado Hildo Rocha avaliou os resultados da XXX Assembleia Ordinária do Parlamento Latino-americano (Parlatino) que aconteceu entre os dias 14 e 16 deste mês no Panamá.

O parlamentar ressaltou que, durante o evento, foram aprovados 19 marcos de leis. Para ilustrar a importância dessa decisão, Hildo Rocha lembrou que o Código de Defesa do Consumidor “nasceu de um marco de lei aprovado no Parlatino”.

Palestra

Rocha comentou sobre a palestra intitulada Atribuições dos Municípios Membros do Parlatino e Legislação Municipal, proferida por ele no Parlatino. “Os representantes dos outros 22 países ficaram admirados em saber que aqui no Brasil se descentraliza os serviços públicos, mas se concentra a receita nas mãos da união”, destacou.




Segundo Rocha, essa discrepância penaliza a sociedade porque os municípios ficam impossibilitados de prestar bons serviços, principalmente, nas áreas da saúde e da educação.

O parlamentar, que é membro titular da Comissão Especial que estuda propostas para a elaboração do Novo Pacto Federativo, é um combativo defensor de mudanças no atual modelo de partilha do bolo tributário.

segunda-feira, 18 de maio de 2015

Antônio Pereira une forças políticas e pede segurança para a população de Buriticupu


Deputado Antonio Pereira e o secretário de Estado de Segurança Pública, Jefferson Portela
 conversam sobre segurança pública durante reunião com lideranças politicas de Buriticupu  



O deputado Antônio Pereira (DEM) promoveu uma mega reunião das forças política que atuam no Município de Buriticupu com o secretário de Estado de Segurança Pública, Jefferson Portela, e com o superintendente da Polícia Civil do Interior, Dicival Gonçalves. 
Deputado Antonio Pereira. secretário de Estado de Segurança Pública, Jefferson Portela, superintendente da Polícia Civil do Interior, Dicival Gonçalves e lideranças politicas de Buriticupu




Como membro da Comissão de Orçamento da Assembleia Legislativa, Antônio Pereira se colocou à disposição da Segup e pediu providências imediatas para conter o avanço da violência em Buriticupu, onde ocorrem assassinatos, assaltos e outros crimes. 

Depois da reunião, Antônio Pereira anunciou que brevemente será realizada uma audiência pública em Buriticupu, com a participação da Secretaria de Segurança e da sociedade civil organizada, que deve expor e cobrar soluções para o avanço da violência. 

O secretário Jefferson Portela elogiou a união das forças políticas para garantir a segurança, e prometeu tomar providências para resolver os problemas, pois o compromisso do governo Flávio Dino é com a vida e segurança do povo do Maranhão. 

PEDIDOS DA POPULAÇÃO 

Na ocasião, Antônio Pereira e os vereadores entregaram a Jefferson Portela um documento com as reivindicações da população, que pede a efetivação da 14ª Companhia de Polícia Militar e a criação de postos policiais nos povoados Vila Pindaré e Faísa. 

A população pede também aumento do efetivo da Polícia Civil, dois delegados definitivos, a revisão da superlotação de presos, reforma da Delegacia da Polícia Civil, parceria com a Guarda Municipal e a instalação do Serviço de Inteligência na Região do Pindaré. 

Participaram da reunião a deputada Francisca Primo (PT), o ex-prefeito Primo, o vice-prefeito Dr. João, o presidente da Câmara, Ely Josélio e os vereadores, Gomes Filho, Leolando, Cléber Flor, Peixoto, Tutu, Jùnior do PT, Eurondino, Evaristo, Careca e Abimael.

Também estavam presentes no importante encontro o ex- vereador Ferdinan, o advogado, Dr. Thalis, e expressivas lideranças. Ficou definido que na audiência pública será formado o Conselho de Segurança Pública do Município de Buriticupu.

Hildo Rocha: um olhar atento sobre os rumos da economia maranhense



“Se a economia do nosso Estado está ruim significa dizer que os rumos do nosso estado não estão bem”. A citação resume análise feita pelo deputado federal Hildo Rocha, durante pronunciamento no Plenário da Câmara Federal, na semana passada.

A crítica está fundamentada em dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgados no início deste mês, que constatam a elevação do índice de desempregos no Maranhão, nos três primeiros meses de 2015.

O parlamentar ressaltou que, primeiro trimestre deste ano houve um aumento de 56 mil desempregados, em relação ao último trimestre de 2014. “Em outubro, novembro e dezembro eram 199 mil. Em janeiro, fevereiro e março (2015) já são 254 mil desempregados”, lamentou.

Declínio

Os dados citados pelo deputado Hildo Rocha atestam que a economia maranhense deu uma guinada na direção contrária dos extraordinários avanços alcançados pelo Estado nos últimos anos. Basta comparar. Entre 2011 e 2012 o Produto Interno Bruto (PIB) aumentou de 52,1 para R$ 58,8 bilhões, segundo pesquisa divulgada pelo IBGE em novembro de 2014. Esse crescimento histórico levou o Maranhão a ocupar a 4ª posição, entre os Estados do Nordeste, e a 16ª no ranking da economia nacional.

Mas o exorbitante aumento de desempregados, nos três primeiros meses do ano, é um forte indício de que, ao contrário do virtuoso ciclo de crescimento vivenciado até dezembro de 2014, a economia maranhense rapidamente começou a definhar. O alarme soou. O alerta foi dado.


domingo, 17 de maio de 2015

Atendimento precário nas UPAs gera reclamações e revolta



O colapso no atendimento nas Unidades de Pronto Atendimento - UPA em São Luís vem sendo denunciado a todo instante por pacientes que sofrem com o descaso e desrespeito ao procurarem estas unidades em busca de atendimento medico de urgência. 

Por outro lado, sempre que denúncias como estas são divulgadas, ao invés de responder com medidas para solucionar o impasse, o governo prefere negar o fato, desqualificando a fala do paciente com o argumento de que trata-se de perseguição politica e de jogo da oposição.

Enquanto isso o paciente vai sendo relegado a segundo plano, desrespeitado em seus direitos mais básicos e sofrendo humilhações e provações por conta do descaso e da insensibilidade daqueles que deveriam zelar pelo bem estar e a saúde do cidadão que é quem financia o sistema de saúde através do pagamento de impostos. 

Com febre, dor de cabeça, dor no corpo e alergia geral, esta senhora está desde as 16h00 deste domingo (10), esperando por atendimento na UPA do Parque Vitória, a unidade está lotada e até as 19h50 a pacinte continuava sem socorro medico, sofrendo fortes dores.

A quem recorrer, quem pode intervir a favor do menos favorecido, do cidadão comum jogado e esquecido nas UPAs, socorrões e hospitais da grande São  Luis, Até quando estas cenas continuarão sendo protagonizadas sem nenhuma ação reação ou providencia do poder público no sentido de reverter quadro tão humilhante e vexatório?       

sexta-feira, 15 de maio de 2015

Hildo Rocha vai ao Panamá e profere palestra no Parlamento Latino Americano



O deputado federal Hildo Rocha (PMDB/MA) foi designado para integrar a delegação brasileira que participa da 30ª Assembleia Ordinária do Parlamento Latinoamericano (Parlatino) que acontece no Panamá neste fim de semana

Deputado Hildo Rocha com demais integrantes da comitiva brasileira: Senadores Antonio Anastasia (PSDB/MG) e Antonio Carlos Valadares (PSB/SE) e o deputado federal Luis Louro Filho (PSB/SP)
Rocha, único parlamentar federal maranhense da comitiva, é membro da Comissão de Assuntos Políticos, Municipais e da Integração Latinoamericana. A primeira atividade oficial do deputado, no Panamá, aconteceu nesta quinta-feira, quando fez uma palestra sobre Atribuições dos Municípios Membros do Parlatino e Legislação Municipal.

Hildo Rocha em missão oficial no Parlatino, com deputados cubanos
A pauta da 30ª Assembleia Ordinária do Parlatino inclui debates sobre as perspectivas para a América Latina frente às mudanças socioeconômicas mundiais e os desafios para a integração regional. O papel dos meios de comunicação e das novas tecnologias de informação para a democracia na região também será discutido.

Também haverá reuniões das Comissões de Assuntos Econômicos, Sociais e Desenvolvimento Regional; Política municipal e Integração; e Meio Ambiente e Turismo, que integram o Parlamento.

O Parlatino

Com sede permanente no Panamá, o Parlamento Latinoamericano é uma organização regional, permanente e unicameral, integrada pelos Parlamentos Nacionais da América Latina, eleitos democraticamente mediante sufrágio popular. É composto por 22 países: Antilhas Holandesas, Argentina, Aruba, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, Cuba, Equador, El Salvador, Guatemala, Honduras, México, Nicarágua, Panamá, Paraguai, Peru, República Dominicana, Suriname, Uruguai e Venezuela. Constituído em 7 de dezembro de 1964, na cidade de Lima, no Peru, o Parlatino tem os seguintes princípios: 

1 - A defesa da democracia; 

2 - A integração latino-americana; 

3 - A não intervenção; 

4 - A autodeterminação dos povos; 

5 - A pluralidade política e ideológica como base de uma comunidade
     Latinoamericana democraticamente organizada;

6 - A igualdade jurídica dos Estados; 

7 - A reprovação à ameaça e ao uso da força contra a independência política e a integridade territorial de qualquer Estado; 

8 - A solução pacífica, justa e negociada das controvérsias internacionais; 

9 - A preponderância dos princípios do Direito Internacional referente às relações de amizade e a cooperação entre os Estados.




Mais uma escola suspende atividades em São Luís por falta de condições de trabalho


Professores, alunos e pais de alunos do pólo infantil da UEB Henrique de La Roque promoveram, na tarde de ontem (13), um grande apitaço pelas ruas da Vila Embratel em favor da educação pública municipal. A manifestação sinalizou o repúdio ao descaso e negligência com os quais a Prefeitura de São Luís vem tratando a escola do bairro, que desde o inicio do ano letivo, está completamente abandonada e a mercê da criminalidade.

Diante do abandono, a comunidade escolar decidiu suspender as atividades até que a Prefeitura atenda às suas reivindicações. “Nós estamos com medo, nossos filhos estão com medo de vir para a escola, porque não sabemos o que pode acontecer. Várias vezes a escola já foi invadida e nenhuma atitude até agora foi tomada pelo prefeito”, desabafou uma mãe de aluno.

O pólo infantil da UEB Henrique de La Roque atende cerca de 180 crianças, de 6 a 7 anos de idade, distribuídas em turmas de aproximadamente 30 alunos e dispõe de apenas um vigilante que trabalha em dias alternados. E não é só a segurança que apresenta problemas, faltam também profissionais para fazer a limpeza e preparar a merenda escolar.

Os professores informaram que diversas tentativas de sensibilização do poder público já foram feitas, porém, sem resposta. Em abril, com o apoio irrestrito dos pais de alunos, a comunidade escolar liderou um mutirão de restauração da escola para que fossem resgatadas condições mínimas de funcionamento. Antes da intervenção da comunidade, o cenário era de total desleixo: fossa aberta, fiação elétrica exposta e apresentando curto-circuito, piso danificado, buracos na parede, banheiros sem porta, infestações de ratos e muito mato.

“Procurar apoio naqueles que são impactados diretamente pela falta de uma educação púbica de qualidade: alunos e pais de alunos, e a resposta foi imediata. Todos se empenharam com mão de obra e materiais de reforma. Teve pai que ajudou com a tinta, outro a pintar, outro a limpar o terreno que estava completamente tomado pelo mato, etc. Chegamos a passar 12 horas corridas trabalhando”, conta a prof° Moisilesia Bucelia.

“A gente não pode aceitar que os nossos filhos sejam prejudicados. Eu ajudei na reforma da escola e ajudo novamente, mas não aceito o prefeito mentir e deixar a escola como está”, declarou, revoltada, uma das mães que encabeçaram a manifestação desta quarta-feira.

Após a suspensão das aulas, o secretário municipal de educação, prof. Geraldo Castro, agendou uma reunião com a comunidade escolar para tratar da falta de segurança e de questões de infraestrutura. A reunião deverá acontecer nesta sexta-feira (15), às 9h, na própria escola.

A presidente do Sindeducação, profª Elisabeth Castelo Branco, que apoiou e acompanhou a manifestação, parabeniza a iniciativa dos professores e a postura dos pais de alunos em apoiar uma paralisação agora visando melhorias a longo prazo para todos; e em exigir que a Prefeitura de São Luís cumpra seu dever e ofereça às crianças do município uma educação pública de qualidade. Ela reforça, ainda, que a luta por melhorias na infraestrutura e por maior segurança nas escolas é bandeira do sindicato, que não mede esforços para cumprir o seu papel.