segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Variação de preço entre produtos pode chegar a 1.000%, alerta Procon





Fim de ano é sinônimo de muitas compras para grande parte dos consumidores. Itens de decoração de Natal, cestas natalinas e presentes variados estão no topo da lista dos mais procurados no mês de dezembro. Mas, é preciso estar atento não só à variedade dos produtos como, também, à variação dos preços, às regras e aos prazos. A Gerência de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon/MA), órgão vinculado à Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Assistência Social e Cidadania (Sedihc), realizou uma pesquisa de preços envolvendo itens do período natalino em nove estabelecimentos comerciais de São Luís.


A pesquisa foi realizada entre os dias 09 e 11 de dezembro e apresentou variações que chegam até 1.000%. A Cesta Natalina, com itens indispensáveis como panetone, nozes e damascos podem variar de preço em até 400%, dependendo do estabelecimento. Já o Peru, ave bastante consumida neste período, apresenta uma variação de até 15%.

Para o gerente do Procon/MA, Kleber José Moreira, algumas diferenças, especialmente as mais significativas, podem estar relacionadas com as distinções nos produtos relativos à matéria–prima utilizada ou outras características técnicas, mas ressalta que a pesquisa ainda é a melhor forma de economia. “Nesse sentido, fica claro que o melhor a se fazer é sempre pesquisar ostensivamente, a fim de que o consumidor consiga adquirir produtos com a melhor relação custo-benefício”, afirmou Kleber José Moreira.

A pesquisa constatou, ainda, uma grande diferença de preço entre os itens de decoração de natal. Cinco estabelecimentos de São Luís foram usados como referência e itens tradicionais como as árvores e guirlandas apresentam diferenças de até 600%. Para se ter uma idéia, uma árvore de tamanho médio sai por R$ 29,99 em um determinado estabelecimento, já em outro, o mesmo item pode sair por R$ 89,99.

Outro alerta dado pelo Procon é em relação às compras feitas pela internet. “Poucos consumidores sabem, mas todos têm o direito de arrependimento, que garante um prazo de sete dias para desistir da compra”, informou o diretor de fiscalização do Procon, Roosevelt Mello. O direito de arrependimento vale para qualquer produto ou serviço e não precisa haver defeito. E os custos da devolução devem correr por conta do estabelecimento que ofertou o produto e o consumidor tem direito de receber tudo o que pagou pela compra.

Regras e prazos, também importantes para serem lembrados, são os de troca. Apesar de ser uma prática comum no mercado, adotada pela grande maioria dos lojistas, os fornecedores não são obrigados a trocar produtos sem defeito, apenas porque o consumidor não gostou da cor, do modelo ou do tamanho. Já se o produto apresentar algum tipo de defeito, o consumidor pode exigir o conserto. “Se o problema não for solucionado em 30 dias, o consumidor poderá exigir um produto novo igual ao anterior ou cancelar a compra e receber seu dinheiro de volta ou mesmo pedir um abatimento no preço e ficar com o produto imperfeito”, alertou o diretor de fiscalização do Procon.

Em alguns casos, o consumidor poderá exigir diretamente a troca do produto por um novo ou o dinheiro de volta, sem esperar pelo conserto. “Isso ocorre com os produtos essenciais, como fogão e geladeira, e também com aqueles que não podem ser consertados, como medicamentos e alimentos”, finalizou o gerente Kleber José Moreira, lembrando que, em casos de reclamações ou denúncias, o consumidor deve procurar o Órgão de Proteção e Defesa do consumidor em uma de suas unidades ou pelo número: 151.

Confira as pesquisas:



Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Credibilidade é o nosso maior patrimônio

Nosso objetivo é fazer jornalismo com seriedade, produzindo conteúdo regional, sobre política, economia, sociedade e atualidade, na forma de opinião, editorial e criticas.

Não usamos de artifícios como sensacionalismo, imagens apelativas, chocantes ou degradantes, tampouco textos, frases, ou palavras chulas para obter acessos.

Não somos o primeiro a divulgar a informação, mas somos quem apresenta o conteúdo checado, aprofundado e diferenciado.

Aqui oferecemos aquele algo mais que ainda não foi dito, ou ainda não foi mostrado.

Noticias qualquer um pode divulgar, mas com apuração e seriedade só aqui.

Comentários anônimos, ou que contenham, palavrões, pornografia, ataques pessoais, calúnias ou difamações não serão publicados.

Jornalista Abimael Costa

LG Contabilidade Pública

LG Contabilidade Pública

Clinica Santo André

Clinica Santo André