terça-feira, 12 de janeiro de 2016

"As unidades prisionais foram entregues às facções criminosas" diz juíza


juíza da 1a Vara de Execuções Penais, Ana Maria Almeida Vieira


Mesmo causando estranheza e revolta, não é novidade a informação divulgada com alarde nesta terça-feira (12), de que o governo do Maranhão teria entregues as unidades prisionais às facções criminosas. 

Ainda em junho/2015, a Sociedade Maranhense de Direitos Humanos (SMDH) disponibilizou para download, o relatório da inspeção feita em conjunto com a OAB/MA, Conectas Direitos Humanos e Justiça Global, nos dias 9 e 10 de junho de 2015. Relatório de Inspeção a Unidades Prisionais Junho 2015, o documento trazia algumas conclusões que já deixavam muito claro o domínio das facções dentro das unidades prisionais.

Em todas as Unidades visitadas se constata a superlotação e a separação dos presos por facções criminosas, estando na mesma unidade, comungando da mesma cela, presos provisórios e sentenciados de uma forma geral, independentemente de condenação e do tipo de pena e regime a que tenha sido sentenciado.
Portanto, como pudemos observar a partir da visita às quatro unidades acima descritas, além do problema da superlotação, o funcionamento do Complexo Penitenciário de Pedrinhas, sucumbiu à divisão dos presos segundo a lógica das facções criminosas, não obedecendo a separação dos internos às orientações do Capítulo I da Lei de Execuções Penais
 
Em entrevista a Globo News, a juíza da 1a Vara de Execuções Penais, Ana Maria Almeida Vieira, é categórica em afirmar "As unidades prisionais foram entregues às facções criminosas" ASSISTA O VÍDEO.

No dia 01/01/2016, o portal G1 publicou extensa reportagem sobre o assunto, o portal reforça a denúncia: "Para evitar rebeliões no Sistema Prisional do Maranhão, a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Sejap) está dividindo presos por unidades para evitar rivalidade entre facções criminosas. A informação é da 1ª Vara de Execuções Penais (VEP) de São Luís." Para evitar rebeliões, presos são separados em presídios do Maranhão

Nesta terça-feira (12), o Estadão, destacou o fato com a chamada Governo do Maranhão se rendeu à lógica dos criminosos, diz ONG  

Em mais um capitulo desta novela, bastou o advogado Luís Antônio Pedrosa reafirmar que os presídios estão divididos por facções criminosas para o secretário Márcio Jerry, partir para cima de Pedrosa, tentando desqualificar tanto seu discurso como sua pessoa, Márcio Jerry rebate críticas ao sistema penitenciário feitas por Antônio Pedrosa e Sebastião Uchoa . O interessante é que em nenhum momento Márcio Jerry contesta as afirmações da juíza da 1a Vara de Execuções Penais, Ana Maria Almeida Vieira.

 





Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Credibilidade é o nosso maior patrimônio

Nosso objetivo é fazer jornalismo com seriedade, produzindo conteúdo regional, sobre política, economia, sociedade e atualidade, na forma de opinião, editorial e criticas.

Não usamos de artifícios como sensacionalismo, imagens apelativas, chocantes ou degradantes, tampouco textos, frases, ou palavras chulas para obter acessos.

Não somos o primeiro a divulgar a informação, mas somos quem apresenta o conteúdo checado, aprofundado e diferenciado.

Aqui oferecemos aquele algo mais que ainda não foi dito, ou ainda não foi mostrado.

Noticias qualquer um pode divulgar, mas com apuração e seriedade só aqui.

Comentários anônimos, ou que contenham, palavrões, pornografia, ataques pessoais, calúnias ou difamações não serão publicados.

Jornalista Abimael Costa

LG Contabilidade Pública

LG Contabilidade Pública

Clinica Santo André

Clinica Santo André