Pular para o conteúdo principal

Não podemos permitir que o Maranhão se transforme em terra de jagunços e pistoleiros


“Hoje, o pai de família sai de casa e não sabe se retorna. O estudante sai com a incerteza de encontrar sua mãe ou irmãos. Vivemos sobressaltados com a ideia de que, a qualquer momento, podemos ser vítimas de um assalto ou tentativa de homicídio. Essa realidade tem que mudar e, por isso, somo a minha voz ao clamor dos moradores de Paraibano que estão aflitos com a criminalidade que domina o município”, disse o parlamentar.

O deputado estadual Wellington do Curso (PP) denunciou na ultima sexta-feira (5), um crime bárbaro que abalou a cidade de Paraibano, localizado a 509 km de São Luís. A vítima da violência foi o professor Ivanildo Pereira Costa, conhecido como Manin Marão, que estava desaparecido e foi encontrado morto, amarrado em um tronco de árvore em um local próximo ao lixão da cidade, às margens da BR-135 saída para São João dos Patos.

Ivanildo havia saído de casa na quinta-feira (04) por volta das 20h, e até as 10h de sexta-feira, não havia retornado. A partir de então familiares, amigos e veículos de comunicação começaram as buscas pelo professor. Primeiro foi encontrado o veiculo do professor, o carro estava carbonizado. Minutos depois o corpo de Ivanildo foi localizado como as mãos atadas e amarrado a uma árvore; há indícios de que ele tenha sido torturado antes de morrer.

“Assassinaram um professor. Um homem íntegro, que deixou familiares. Foi assassinado de forma cruel e não há nada que justifique. Sabemos que não há nada que o Governo possa fazer para trazer a vida de volta, mas o mínimo que se espera é que se investigue, encontre os culpados e, então, penalize os criminosos”, disse Wellington.



Nesta segunda-feira, 08 de maio. A Assembléia Legislativa abriu a sessão com uma homenagem póstuma ao professor Ivanildo Pereira Costa. De pé os deputados fizeram um minuto de silencio, em memória ao professor.

No plenário, durante o pequeno expediente o deputado Wellington do Curso (PP), que também é professor e autor da homenagem póstuma, classificou de covarde o assassinato do colega e mostrou-se indignado com a volta da pistolagem. “Não podemos permitir que o Maranhão se transforme em terra de jagunços, em terra de pistoleiros ”, destacou.



O parlamentar reforçou o convite para a Caminhada pela Paz e Segurança que será realizada na sexta-feira (12), às 16h, em Paraibano,  no final do  pronunciamento solicitou apoio da Assembleia Legislativa para a realização de uma Audiência Pública sobre segurança, que acontece logo depois da caminhada. A audiência ocorre em virtude da falta de segurança e de vários crimes que aconteceram na cidade de Paraibano,  o objetivo é efetivar ações que combatam à criminalidade. Para a Audiência Publica serão convidados representantes da Polícia Civil; Polícia Militar; Ministério Público; Defensoria Pública; Prefeitura e Vereadores.


Além do crime bárbaro que vitimou o professor Ivanildo Pereira Costa, há outros que afligem os moradores, como o assassinato da jovem Christina Fernandes, de 19 anos, que foi morta com um tiro no rosto e, ainda, o homicídios de Antônio Gonçalves e do seu cunhado Francisco Ferreira Costa, conhecido como Seu França, pai do vereador Denis (PMN) do município de Paraibano .






Comentários

OUÇA a RÁDIO VOZ DE ARARI

Denuncie, seja os olhos e os ouvidos da polícia!

Clinica Santo André

Clinica Santo André

LG Contabilidade Pública

LG Contabilidade Pública