Pular para o conteúdo principal

Evangélica morre eletrocutada ao usar microfone em evento religioso no Maranhão


Conforme especialistas, a falha no aterramento dos equipamentos de  áudio, ou a falta de aterramento, são as causas de descargas elétricas em microfones como a que provocou a morte de uma professora na noite do último domingo (30). A evangélica que participava de um culto, foi chamada para fazer uso da palavra, e ao tocar no microfone recebeu forte descarga elétrica que ocasionou a sua morte. 

A professora Adriana Salles, de 28 anos de idade, era casada, mãe de um filho, e frequentava a Igreja Adventista do Sétimo do Dia, na pequena cidade de Junco do Maranhão, localizada no Oeste maranhense, distante 474 quilômetros de São Luís, e que tem cerca de 3.330 habitantes conforme o IBGE. A vítima ainda foi socorrida e encaminhada ao hospital da cidade, onde já chegou sem vida.

A lei 11.337, de 26 de julho de 2006, que entrou em vigor em janeiro de 2010, determina a obrigatoriedade de as edificações possuírem sistema de aterramento e instalações elétricas compatíveis com a utilização de condutor-terra de proteção, bem como torna obrigatória a existência de condutor-terra de proteção nos aparelhos elétricos que especifica.


Comentários



OUÇA a RÁDIO VOZ DE ARARI

Denuncie, seja os olhos e os ouvidos da polícia!

Clinica Santo André

Clinica Santo André

LG Contabilidade Pública

LG Contabilidade Pública