Pular para o conteúdo principal

A imagem revoltante da violência contra a mulher no Maranhão



Em pleno século XXI, um homem arrasta uma mulher sem roupas pelas ruas de uma cidade do Maranhão, como se fosse ela sua escrava, é conduzida sob a mira de uma arma de fogo e exposta ao escárnio, vergonha e constrangimento público. A imagem vergonhosa, aviltante e constrangedora, é emblemática, ela mostra que a violência contra a mulher é endêmica é precisa do apoio de todos para ser combatida e extirpada.                 

Para muitos homens a mulher ainda é vista como sua propriedade, podendo este fazer dela o que bem entender. Tal atitude é fruto de uma herança de uma cultura predominantemente patriarcal que imperou por séculos e ainda tem inúmeros simpatizantes e defensores. 

No município maranhense de Pedreiras, distante 275 quilômetros da capital, na manhã desta quinta-feira (5), um homem identificado como Luciano Luan Santos Lopes, foi protagonista de um bárbaro crime de violência contra a mulher, que reforça a tese do patriarcado como motivador de tamanha violência. 



Luciano teria flagrado a esposa com o amante em um motel da cidade, depois de agredir até a morte o suposto amante, de arma em punho ele obrigou a mulher a desfilar nua pelas ruas da cidade que tem cerca de 38 mil habitantes. Horas depois o assassino foi preso pela polícia local. 

Atitudes insanas e brutais como essa não são atos isolados e distantes de nossa realidade, segundo pesquisa Data Folha,  a cada hora mais de 500 mulheres são vítimas de agressão física no Brasil, outras oito mulheres são mortas todos os dias no país.  
      

Comentários

Clinica Santo André

Clinica Santo André

Ouça a Rádio Voz de Arari

PLAYER