segunda-feira, 29 de janeiro de 2018

Baleia de mais de oito metros morre encalhada no rio Mearim em Arari



Na manhã da última sexta-feira (26), moradores do povoado São Domingos (Curral da Igreja), comunidade localizada às margens do rio Mearim e distante oito quilômetros da sede do município de Arari, foram surpreendidos com presença de uma baleia de mais de oito metros, morta na margem do rio. 

O achado inédito chamou a atenção da comunidade que imediatamente comunicou o fato à Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Arari (Sematec).

Acionada, a organização não governamental responsável pelo atendimento a encalhes de mamíferos marinhos no estado do Maranhão, - Instituto Amares - deslocou equipe técnica para o local do ocorrido. 

Pesquisadores coletaram dados e amostras do animal encontrado já em estado avançado de decomposição. A equipe constatou tratar-se de um macho ainda jovem, medindo 8,20 m de comprimento. 

A espécie não pode ser identificada através da anatomia em função da decomposição avançada e a posição de encalhe em que se encontrava, a qual encobriu partes corporais essenciais nesse processo. Contudo, amostras biológicas foram coletadas para posterior análise genética. 

A bióloga Nathali Ristau, presidente do Instituto Amares, relembra que este não é o primeiro caso de encalhe ocorrido na região. Em dezembro de 2015, um boto-cinza (Sotalia guianensis), pego em rede de pesca, foi resgatado pela equipe, após comunicação realizada pelo secretário de Meio Ambiente, Jocei Ribeiro.

Nathali ressalta ainda a importância de parcerias entre a iniciativa pública e privada, como a existente entre o Instituto e a Sematec, pois graças à comunicação e o apoio realizado pela secretaria, o atendimento pode ser realizado.

Segundo a bióloga, a ONG Amares que tem reconhecimento nacional e internacional no atendimento a encalhes no estado do Maranhão, é membro da Rede de Encalhes e informação de mamíferos aquáticos do Brasil (REMAB) e as informações obtidas nesses atendimentos integra um banco de dados nacional sobre essas espécies e contribui para o melhor entendimento não só dos encalhes, mas também para pesquisas futuras.

Além disso, mesmo já mortos, o material coletado dos animais em encalhes compõem o acervo didático e científico do Instituto, o qual é utilizado por estudantes de graduação e pós-graduação, além de Educação Ambiental. 

Uma exposição com esqueletos de várias espécies de mamíferos aquáticos está sendo montada pelo Instituto e em breve estará disponível para visitação.

O Instituto Amares recebe informações através do Disque-encalhe (98 98836-1717), pelo Instagram @institutoamares e e-mail: institutoamares@yahoo.com.br

* Informações do site oficial da prefeitura de Arari, com  redação e edição do jornalista Abimael Costa   
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Credibilidade é o nosso maior patrimônio

Nosso objetivo é fazer jornalismo com seriedade, produzindo conteúdo regional, sobre política, economia, sociedade e atualidade, na forma de opinião, editorial e criticas.

Não usamos de artifícios como sensacionalismo, imagens apelativas, chocantes ou degradantes, tampouco textos, frases, ou palavras chulas para obter acessos.

Não somos o primeiro a divulgar a informação, mas somos quem apresenta o conteúdo checado, aprofundado e diferenciado.

Aqui oferecemos aquele algo mais que ainda não foi dito, ou ainda não foi mostrado.

Noticias qualquer um pode divulgar, mas com apuração e seriedade só aqui.

Comentários anônimos, ou que contenham, palavrões, pornografia, ataques pessoais, calúnias ou difamações não serão publicados.

Jornalista Abimael Costa

LG Contabilidade Pública

LG Contabilidade Pública

Clinica Santo André

Clinica Santo André