domingo, 6 de maio de 2018

Barbárie: bandidos invadem residência e matam pai que comemorava aniversário da filha de 05 anos em São Luís




A banalização do mal definida pela filósofa Hannah Arendt como a naturalização da prática da maldade contra outro ser humano, feita de forma mecânica e sem nenhum constrangimento, é sem dúvida a melhor definição para a época em que estamos vivendo. O mal esta banalizado tanto para os que o praticam, quanto para aqueles - a grande maioria - que assistem as sucessivas barbáries praticadas a todo instante e em todas as partes. 

Vítimas de uma normose patológica tendemos cada vez mais a ver atos criminosos, desumanos e violentos como algo normal e até necessário. A banalização do mal e a normose tem a capacidade de matar em nós sentimentos como indignação, justiça, empatia, misericórdia, amor ao próximo, benevolência e cidadania, e ao mesmo tempo fazer brotar outros como, ódio, desejo de vingança, justiçamento - fazer justiça com as próprias mãos - , egoismo, indiferença e impiedade. 

A realidade cruel e brutal da naturalização da violência vai criando um ambiente impregnado por um clima de terror, desespero e muito medo. Os criminosos agem a todo instante, e em todos os lugares. Destemidos, ousados e de cara limpa, sem medo de nada e de ninguém, eles ameaçam, intimidam, roubam e matam impunemente, e quando são presos, dias depois a justiça os devolve as ruas. 

Aos poucos a sociedade vai perdendo a confiança nas instituições, desacreditando do poder do Estado em combater a violência e punir os culpados. A impunidade é de longe a primeira causa apontada como motivadora da violência endêmica que se alastra por todos os cantos, fazendo vítimas indiscriminadamente. 

Órfão do poder público, o cidadão fica cada vez mais tenso, seletivo, precavido, e a beira da loucura, afinal a realidade é cruel, ma precisa ser dita sempre - ninguém está seguro em lugar algum - partindo deste pressuposto, para tentar escapar desta carnificina é preciso se recolher, se esconder, mudar hábitos e alterar rotinas, afinal os números da tragédia demonstram que os bandidos dominaram o sistema.

Neste sábado (5), em São Luís, o que deveria ser uma celebração familiar, reunindo amigos mais íntimos para comemorar o aniversário de cinco anos da filha de um homem de 36 anos de idade, terminou em tragédia. 

O delegado da Polícia federal, Davi Aragão, diretor do Departamento Fazendário da PF no Maranhão, foi assassinado por supostos assaltantes na frente dos convidados quando  comemorava o aniversário da filha de cinco anos, ao lado de amigos e familiares em uma casa, na praia do Meio, no bairro Araçagi, em São José de Ribamar, na região metropolitana de São Luís.

Três bandidos aproveitaram que a casa vizinha estava desocupada no momento e invadiram a residência onde o delegado comemorava o aniversário da filha, os suspeitos teriam pulado o muro, dois teriam entrado pelo quintal e outro pela lateral. Conforme a polícia o trio chegou a pé no local, e perceberam que havia movimento na casa quando um entregador deixou uma pizza pedida pelas pessoas na reunião familiar.

Já no interior da residência, os indivíduos anunciaram o assalto e começaram a subtrair objetos como relógios, celulares e bolsas das vítimas que estavam na  da casa, para isso utilizavam uma arma tipo pistola. Ao entrar no comodo onde estavam as crianças, os ânimos teriam se exaltado e só então os indivíduos teriam entrado em luta corporal com o delegado, que foi morto por três disparos de arma de fogo no abdômen, além de facadas e mordidas pelo corpo.

Davi Aragão foi socorrido e encaminhado para a UPA do Araçagi  e em seguida transferido para um hospital particular  da capital, onde chegou sem vida.

Em nota a Superintendência da Polícia Federal no Maranhão lamentou a morte do Delegado Federal.  

Com profundo pesar, a Superintendência da Polícia Federal no Maranhão lamenta o trágico falecimento nesta data, 06 de maio, do Delegado de Polícia Federal DAVID FARIAS DE ARAGÃO, ocorrido durante assalto em sua residência localizada em São Luís/MA. 

O estimado colega era natural desta capital, tinha 36 anos, era casado e tinha duas filhas. Ingressou na Polícia Federal há mais de doze anos, com atuação exemplar e comportamento louvável, coordenou várias operações policiais e contribuiu intensamente em ações de combate ao crime. 

Atualmente chefiava a Delegacia de Repressão aos Crimes Fazendários. Logo após o crime, a Polícia Federal, em um esforço de todo seu efetivo, iniciou os trabalhos que já culminaram com a prisão de um dos três envolvidos no crime.

O inquérito policial que apurará o latrocínio já foi instaurado e será conduzido pela Polícia Civil do Estado do Maranhão. 

A Polícia Federal continuará envidando todos os esforços possíveis para colaborar na elucidação dos fatos e prisão dos criminosos, solidarizando-se com familiares, amigos e colegas de trabalho, lamentando profundamente o triste episódio que retirou, de forma precoce, a vida do policial que deixará imensa saudade no nosso convívio. 

Fica estipulado luto na instituição pelo prazo de 3 dias. 

CASSANDRA FERREIRA ALVES PARAZI Delegada de Polícia Federal Superintendente Regional da SR/PF/MA



MPF/MA divulga nota de pesar pelo falecimento do delegado de Polícia Federal David Farias de Aragão

O Ministério Público Federal no Maranhão (MPF/MA) manifesta profundo pesar pelo falecimento, na noite de ontem, 05 de maio, do delegado de Polícia Federal David Farias de Aragão, que teve sua vida interrompida de forma trágica e prematura por um homicídio ocorrido na residência de sua família, localizada no bairro do Araçagi, no município de São José de Ribamar, região metropolitana de São Luís (MA).

A atuação destacada e exemplar do delegado David Farias de Aragão sempre marcou o exercício de suas funções nas diversas ocasiões em que trabalhou em conjunto com o Ministério Público Federal no combate ao crime e à corrupção, pela qual os procuradores da República e servidores do MPF/MA expressam seu reconhecimento e gratidão pelos dedicados serviços e contribuições prestadas por David Aragão à toda a sociedade maranhense.

O MPF/MA decreta luto oficial por 3 dias e se solidariza com os familiares, amigos e colegas de trabalho pela irreparável perda, bem como oferece apoio às investigações e todo o suporte institucional necessário para o esforço de esclarecimento do fato e prisão dos criminosos responsáveis.




Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Credibilidade é o nosso maior patrimônio

Nosso objetivo é fazer jornalismo com seriedade, produzindo conteúdo regional, sobre política, economia, sociedade e atualidade, na forma de opinião, editorial e criticas.

Não usamos de artifícios como sensacionalismo, imagens apelativas, chocantes ou degradantes, tampouco textos, frases, ou palavras chulas para obter acessos.

Não somos o primeiro a divulgar a informação, mas somos quem apresenta o conteúdo checado, aprofundado e diferenciado.

Aqui oferecemos aquele algo mais que ainda não foi dito, ou ainda não foi mostrado.

Noticias qualquer um pode divulgar, mas com apuração e seriedade só aqui.

Comentários anônimos, ou que contenham, palavrões, pornografia, ataques pessoais, calúnias ou difamações não serão publicados.

Jornalista Abimael Costa

LG Contabilidade Pública

LG Contabilidade Pública

Clinica Santo André

Clinica Santo André