Pular para o conteúdo principal

Vândalos atacam forças federais em Peris de Baixo durante desobstrução da BR-135, seis terminam presos


Crédito de imagem: MA+



Cumprindo decisão do STF que autoriza o uso das Forças Armadas para o desbloqueio das rodovias paralisadas pelo movimento nacional de caminhoneiros, homens do 24º BIL - Batalhão de Infantaria Leve e da Policia Rodoviária Federal usaram a força progressiva durante desobstrução da BR-135 na noite da segunda-feira (28), a ação que ocorreu no km 44 da via, povoado de Peris de Baixo, município de Bacabeira-MA, está respaldada na determinação do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes.

“Autorizo que sejam tomadas as medidas necessárias e suficientes, a critério das autoridades responsáveis do Poder Executivo Federal e dos Poderes Executivos Estaduais, ao resguardo da ordem no entorno e, principalmente, à segurança dos pedestres, motoristas, passageiros e dos próprios participantes do movimento que porventura venham a se posicionar em locais inapropriados nas rodovias do país; bem como, para impedir, inclusive nos acostamentos, a ocupação, a obstrução ou a imposição de dificuldade à passagem de veículos em quaisquer trechos das rodovias”, decidiu.

No entendimento do ministro, o movimento dos caminhoneiros abusou de seus direitos constitucionais e provocou “efeito desproporcional e intolerável” no país.

“O quadro fático revela com nitidez um cenário em que o abuso no exercício dos direitos constitucionais de reunião e greve acarretou um efeito desproporcional e intolerável sobre todo o restante da sociedade, que depende do pleno funcionamento das cadeias de distribuição de produtos e serviços para a manutenção dos aspectos mais essenciais e básicos da vida social”, afirmou o ministro.

No caso da ação policial na BR-135, a PRF esclareceu que a manifestação nada tem a ver com o movimento dos caminhoneiros, que não participaram dos protestos. Só na segunda-feira (28), A polícia precisou desbloquear a rodovia no povoado Peris de Baixo, três vezes.

Levantamentos feitos pela Polícia apontam a figura de uma pessoa envolvida na política municipal por trás do movimento. O fato será apurado e, se confirmado, o responsável deve responder judicialmente pelas manifestações e suas consequências., ainda conforme a PRF,  grande quantidade de fogos de artificio lançados contra os policiais leva a crer que o movimento  foi devidamente planejado. 

Ainda pela manhã de segunda-feira (28), aconteceu o primeiro bloqueio total da via, só liberado algum tempo depois. Durante a tarde houve nova manifestação com bloqueio total da BR sendo necessário a intervenção da PRF com o uso progressivo da força face a intransigência dos organizadores do bloqueio. 

No começo da noite teve início um novo bloqueio da rodovia, ocasião em que a PRF, o Exército, a ABIN e a Polícia Federal estavam na sede da PRF tratando da criação de um gabinete de crise. 

De lá mesmo saíram as equipes para a realização da desobstrução da via. No local a PRF e o Exército foram recebidos com várias rajadas de fogos de artifício e com pedradas, sendo observado a necessidade de emprego do uso progressivo da força. 

Ao final, por volta das 21h a via foi liberada para a circulação de veículos. Seis pessoas foram presas e conduzidas para a sede da Polícia Federal em São Luís.

Logo em seguida a desobstrução, circularam em aplicativos e redes sociais vários vídeos e áudios sobre a manifestação e a ação da polícia. Alguns falavam em excessos na ação policial, outros que o confronto teria resultado em dezenas de feridos, o que não passou de informação falsa, comumente chamada de fake news. Alguns áudios de moradores da localidade passaram a circular após o confronto. Neles é possível perceber claramente que a manifestação não conta com a simpatia dos próprios moradores.

A PRF e o Exército permanecem no local no intuito de evitar novas manifestações na rodovia. 






Comentários



OUÇA a RÁDIO VOZ DE ARARI

Denuncie, seja os olhos e os ouvidos da polícia!

Clinica Santo André

Clinica Santo André

LG Contabilidade Pública

LG Contabilidade Pública