Pular para o conteúdo principal

Obrigado meu pai




 Por: Abimael Costa 

Um homem prudente preparou com muito cuidado uma ampla área de terra, e ali plantou uma espécie rara de árvore frutífera, mesmo antes da semente germinar ele cuidava diligentemente para que nada desse errado, todos os dias observava e trabalhava para manter o ambiente sempre propício para o desabrochar da pequena e frágil espécie rara.

Um belo dia, o coração do homem encheu-se de alegria e júbilo, chamou amigos, parentes, vizinhos e conhecidos para orgulhosamente anunciar com voz embargada, "A SEMENTE BROTOU".

A pequena árvore havia nascido, o mundo precisava saber que aquela espécie não seria extinta, e que a nova árvore certamente seria bem melhor que as outras, afinal a semente selecionada foi plantada em um terreno previamente preparado, adubado, e todos os cuidados foram tomados para evitar que predadores naturais ou pragas ataquem a indefesa e frágil muda. 

Passada a euforia do nascimento, o diligente homem voltou a dura realidade, a missão de cuidar para que aquela pequena planta, crescesse forte, saudável, livre de doenças e de tudo que pudesse comprometer seu desenvolvimento.

É preciso prover água constante,  fertilizantes, adubo, suplementos, sombra para proteger do sol forte e causticante. O homem sabia que a vida da árvore dependia de sua  sabedoria para dosar cada ingrediente na quantidade certa e não deixar faltar nenhum item indispensável, todo cuidado era pouco, a proteção exigia tempo integral, dias, noites, feriados, finais de semana, a qualquer momento podia surgir uma emergência, e ele precisa estar em alerta máximo.    

Já em pleno desenvolvimento, era tempo de podar alguns galhos, alinhar a árvore, coloca-la em forma para garantir um crescimento saudável. Doía na alma daquele homem, ter que cortar alguns galhos que teimavam em sobressair em locais indevidos, ou ter que colocar escoras para forçar a árvore a crescer ereta e alinhada, mas o cuidador sabia que só assim ela seria capaz de suportar os fortes ventos que o açoitariam quando chegasse a idade adulta.

O homem sabia que não desfrutaria dos frutos e da sombra daquela árvore rara, mas de forma diligente e altruísta cuidou exaustivamente para que a especie se perpetuasse. graças a sua persistência e amor desmedido a árvore cresceu, tornou-se frondosa, produziu frutos bonitos e saborosos e sombra a vontade.

Hoje, muitos observam, admiram, elogiam e veneram a exuberante árvore, mas poucos sabem que o responsável por todo este sucesso, brilho e fartura, foi aquele homem, que mesmo sabendo que não se alimentaria dos seus frutos e não desfrutaria de sua sombra, enfrentou todas as intempéries, obstáculos e dificuldades naturais e sobrenaturais, cuidou diligentemente daquela que era apenas uma semente, a transformando em um fenômeno. 

"Obrigado meu pai por tudo que sou hoje" 

Jornalista Abimael Costa 
            

Existe um ditado árabe que diz: “Quem planta tâmaras, não colhe tâmaras!”










Comentários

Clinica Santo André

Clinica Santo André

Ouça a Rádio Voz de Arari

PLAYER