Hildo Rocha trabalha para impedir aprovação de Medida Provisória que prejudica a economia maranhense


Na semana passada, o deputado federal Hildo Rocha ajudou a impedir a aprovação da Medida Provisória 845 que propõe a criação e aplicação dos recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento Ferroviário (FNDF) exclusivamente na construção de um ramal ferroviário, com extensão de 477 km entre a Ferrovia Norte-Sul e o Complexo Portuário de Vila do Conde, em Barcarena (PA).

A proposta voltará a ser submetida em nova votação, nesta terça-feira. Novamente, o deputado irá se posicionar contra a aprovação da matéria. “Essa MP exclui o Maranhão de receber investimentos em novas ferrovias e para a modernização da ferrovia São Luís – Teresina. Além disso, ela prejudica a economia maranhense porque o complexo portuário da Baía de São Marcos perderá a importância que tem hoje, porque os investimentos que serão feitos beneficiarão apenas o complexo portuário de Vila do Conde, em Barcarena, no Pará”, explicou o deputado.

Na justificativa enviada ao Congresso, o Palácio do Planalto argumenta que o fundo viabilizará novas alternativas para o escoamento da safra agrícola brasileira, por meio de portos de grande capacidade localizados no Norte do País. Mas, Hildo Rocha acha que a proposta irá resultar apenas em prejuízos para o Maranhão pois o governo estadual está instituindo novo tributo para esse tipo de transporte, que pode afetar o preço do minério no mercado internacional, forçando a Vale a encontrar outras saídas que permitam ser competitiva no mercado externo.

“Não me oponho a ações que tenham como objetivo melhorar a infraestrutura dos estados brasileiros, mas não posso permitir que o desenvolvimento dos demais estados ocorra às custas do sacrifício do povo maranhense. Por esse motivo, defendo mudanças no texto para evitar que o Maranhão seja afetado. Caso contrário, irei rejeitar essa MP. Conseguimos rejeitar o projeto de Lei de Conversão, agora vamos trabalhar para rejeitar o texto original da MP”, argumentou Hildo Rocha.

De acordo com o parlamentar, o FNDF deveria beneficiar outras ferrovias, como a São Luis/Teresina, por exemplo, que corta vários municípios do Maranhão. “Modernizando aquela ferrovia daremos considerável impulso à economia dos municípios por onde passa o modal, assim como potencializar todo o complexo portuário instalado na baia de São Marcos, em São Luís e criar condições para ampliações. Com isso nós podemos apoiar a construção da ferrovia de Barcarena”, declarou.

O texto contém pontos obscuros

Durante os debates, na semana passada, Hildo Rocha observou que o texto não contém informações a respeito dos custos da ferrovia e não estabelece estrutura administrativa e nem prazos de validade para o Fundo Nacional de Desenvolvimento Ferroviário (FNDF). 

“Em vez de ser melhorado, na comissão, o texto ficou pior. Na versão original, que foi enviada pelo Senado, a MP priorizava a construção do novo trecho ferroviário ligando a Norte-Sul a Barcarena. Agora o dispositivo obriga o governo federal a implantá-la. Caso isso aconteça, nessas condições, as exportações pelos Portos de São Luís serão irremediavelmente prejudicadas”, advertiu Hildo Rocha.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Miranda do Norte festeja seus 24 anos -Conheça a história do Município

Operação Tarô II: Polícia Civil prende 15 maiores, apreende 03 menores de idade, armas, munições e drogas em Miranda do Norte

Subtenente da PM é morto ao sacar arma para agentes da PRF