segunda-feira, 20 de julho de 2020

Por declarações homofóbicas em rede social, vereador de Lago da Pedra é alvo da Defensoria Pública


As redes sociais estão no centro do debate político, eleitas queridinhas e preferidas pelos políticos, consideradas como ferramenta indispensável e essencial no marketing político, seu uso viralizou no meio político,  especialmente entre pré-candidatos ao pleito de 2020. 


Mas as redes sociais, como qualquer ferramenta, é neutra, ou seja o modo de usar é que vai determinar o resultado final, por exemplo, uma faca pode ser usada para cortar queijo, descascar uma laranja  ou para ferir alguém.   


Detentores de cargos públicos, pré-candidatos, lideranças religiosas, sociais, políticas e sindicais devem redobrar os cuidados  na hora de usar as  redes sociais. Qualquer deslize, descuido ou excessos pode significar o fim das pretensões políticas.  


Falas, comportamentos, brincadeiras, piadas, provocações,  até então considerado(a)s “normais” por alguns grupos na vida real, quando postadas, publicadas, e/ou compartilhadas, curtidas e comentadas de forma inadvertidas ou proposital, nas redes sociais, podem ser denunciados, interpretado(a)s e enquadrados como crimes de  preconceito, discriminação, homofobia, racismo, calúnia e/ou difamação.



No último sábado (18), a Defensoria Pública do Estado do Maranhão (DPE/MA), divulgou Nota repudiando ato que tomaram conhecimento por meio de um boletim de ocorrência, no qual o vereador daquele município Julyfran Freires de Sousa Nascimento e Edson Galvino, dentre outras pessoas, vêm utilizando-se da rede social denominada “WhatsApp” para disseminar figurinha com conteúdo de caráter homofóbico.


A produção e o compartilhamento de conteúdo digital de caráter nitidamente homofóbico constituem-se como grave e ilegal violação de direitos individuais. Com base nisso, os defensores titulares do Núcleo Regional da Defensoria Pública do Estado (DPE/MA), em Lago da Pedra, Vinícius Jerônimo Oliveira e Túlio Licínio Garcia manifestaram repúdio público.   


Segundo a nota, a intenção é ofender Pedro Euzébio Silveira Arruda, com a postagem de fotos da vítima e uma subscrição em que consta a seguinte frase “Será se é franga?”.


Conforme os defensores públicos, diante do ocorrido, “a Defensoria Pública do Estado do Maranhão, compromissada com a defesa dos direitos fundamentais da comunidade LGBTQI+, por meio do Núcleo Regional de Lago da Pedra/MA, repudia qualquer ato político ou não que venha fomentar a intolerância, chacota, desrespeito, inferiorização e a marginalização desses indivíduos, bem como enfraquecer os direitos individuais e coletivos conquistados por quaisquer grupos vulneráveis”.


VEJA ÍNTEGRA DA NOTA DE  REPÚDIO





 



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Credibilidade é o nosso maior patrimônio

Nosso objetivo é fazer jornalismo com seriedade, produzindo conteúdo regional, sobre política, economia, sociedade e atualidade, na forma de opinião, editorial e criticas.

Não usamos de artifícios como sensacionalismo, imagens apelativas, chocantes ou degradantes, tampouco textos, frases, ou palavras chulas para obter acessos.

Não somos o primeiro a divulgar a informação, mas somos quem apresenta o conteúdo checado, aprofundado e diferenciado.

Aqui oferecemos aquele algo mais que ainda não foi dito, ou ainda não foi mostrado.

Noticias qualquer um pode divulgar, mas com apuração e seriedade só aqui.

Comentários anônimos, ou que contenham, palavrões, pornografia, ataques pessoais, calúnias ou difamações não serão publicados.

Jornalista Abimael Costa