segunda-feira, 21 de setembro de 2020

Justiça põem fim a foguetórios em campanha eleitoral

A queima de fogos de artifícios durante as campanhas eleitorais é tradição no Maranhão. Convenções, alvoradas, encontros, comícios, caminhadas, carreatas, apuração e resultado do pleito sempre vêm acompanhados do barulho dos “foguetes”. Mas pelo menos em quatro munícipios do Maranhão, a justiça eleitoral determinou a suspensão da queima de fogos de artifícios - proibiu “soltar foguetes” - durante o período eleitoral

 A PORTARIA Nº 1118/2020 TRE-MA/ expedida pelo Juiz titular da 100º Zona Eleitoral do Maranhão, proíbe a deflagração de foguetes e/ou produtos similares com finalidade eleitoral no período de 14 de setembro a 16 de novembro de 2020.

A decisão do juiz Raphael de Jesus Serra Ribeiro Amorim ganhou rápida repercussão e foi bastante elogiada e aprovada, tanto pelos moradores dos municípios beneficiados pela medida - Maracaçumé, Centro Novo do Maranhão, Junco do Maranhão e Boa vista do Gurupi, como por pessoas de todo o Brasil que são contrários ao uso de fogos de artifícios no período eleitoral.

O precedente abre portas para a tomada de decisões do mesmo teor em outras comarcas e municípios do Maranhão e do Brasil. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Credibilidade é o nosso maior patrimônio

Nosso objetivo é fazer jornalismo com seriedade, produzindo conteúdo regional, sobre política, economia, sociedade e atualidade, na forma de opinião, editorial e criticas.

Não usamos de artifícios como sensacionalismo, imagens apelativas, chocantes ou degradantes, tampouco textos, frases, ou palavras chulas para obter acessos.

Não somos o primeiro a divulgar a informação, mas somos quem apresenta o conteúdo checado, aprofundado e diferenciado.

Aqui oferecemos aquele algo mais que ainda não foi dito, ou ainda não foi mostrado.

Noticias qualquer um pode divulgar, mas com apuração e seriedade só aqui.

Comentários anônimos, ou que contenham, palavrões, pornografia, ataques pessoais, calúnias ou difamações não serão publicados.

Jornalista Abimael Costa