quarta-feira, 10 de março de 2021

Hildo Rocha pede providências do governo federal para evitar colapso total do sistema de saúde do Maranhão



O deputado federal Hildo Rocha utilizou a tribuna da Câmara dos deputados para mostrar a situação crítica que se encontra a pandemia no Maranhão e pediu ao presidente Jair Bolsonaro e ao ministro da saúde ajuda institucional ao estado.

O parlamentar também encaminhou oficialmente, por escrito, ao Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, a solicitação de implementação de medidas a fim de evitar que o Sistema de Saúde do Maranhão entre em colapso. De acordo com o parlamentar, a capacidade máxima de atendimentos, na capital e no interior, atingirá o limite em duas semanas. “A situação em que se encontra o Estado do Maranhão, no que diz respeito à pandemia da COVID-19, é crítica”, enfatizou o deputado.

Risco de colapso total

Hildo Rocha citou estudo do infectologista e professor da Universidade Federal do Maranhão, Antônio Augusto Moura, que chama a atenção das autoridades da saúde pública do Maranhão e do Brasil para o fato de que, nas próximas semanas, a rede hospitalar pública do Estado estará colapsada. Rocha ressaltou que também na rede hospitalar privada do Estado do Maranhão não tem mais vaga em leitos de UTI.


“Por isso, solicito ao Presidente Bolsonaro e ao Ministro da Saúde que acudam o Estado do Maranhão e implantem hospitais de campanha, aumento de leitos de UTI’s no Maranhão e aumento de vacinação em todo o estado. Em Imperatriz já tem um hospital de Campanha, mas precisa de reforço, já está em colapso. Outras cidades do Maranhão também precisam de apoio do governo federal. Portanto, solicito ao Presidente Jair Bolsonaro e ao Ministro da Saúde, que tomem as providências necessárias para que a gente possa salvar a vida de maranhenses”, argumentou Hildo Rocha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Credibilidade é o nosso maior patrimônio

Nosso objetivo é fazer jornalismo com seriedade, produzindo conteúdo regional, sobre política, economia, sociedade e atualidade, na forma de opinião, editorial e criticas.

Não usamos de artifícios como sensacionalismo, imagens apelativas, chocantes ou degradantes, tampouco textos, frases, ou palavras chulas para obter acessos.

Não somos o primeiro a divulgar a informação, mas somos quem apresenta o conteúdo checado, aprofundado e diferenciado.

Aqui oferecemos aquele algo mais que ainda não foi dito, ou ainda não foi mostrado.

Noticias qualquer um pode divulgar, mas com apuração e seriedade só aqui.

Comentários anônimos, ou que contenham, palavrões, pornografia, ataques pessoais, calúnias ou difamações não serão publicados.

Jornalista Abimael Costa