segunda-feira, 31 de janeiro de 2022

Secretaria da Mulher repudia ato de agressão praticado contra a prefeita de Miranda do Norte




Em nota divulgada na tarde desta segunda (31), a SEMM - Secretaria Municipal da Mulher de Miranda do Norte repudia a agressão gratuita e covarde desferida na manhã do último sábado (29), contra a prefeita Angélica Bonfim, 68 anos. Na nota a SEMM destaca que adotará todas as medidas legais cabíveis exigíveis à altura da injusta agressão proferida.

NOTA DE RÉPUDIO

A Secretaria Municipal da Mulher de Miranda do Norte vem a público repudiar veementemente o ato de agressão verbal proferido contra a honra e a dignidade da Chefe do Poder Executivo Municipal, prefeita Angélica Bonfim.

Em vídeo compartilhado nas redes sociais, um homem que não se identifica, usa palavras injuriosas e difamatórias para ofender lhe a honra, imputando à prefeita uma condição moral e social de vulgaridade.

A SEMM se solidariza com a prefeita Angélica Bomfim e exige respeito para com todas as mulheres mirandenses, mães honradas e íntegras.

A Secretaria Municipal da Mulher tomará todas as providências legais cabíveis exigíveis à altura da injusta agressão proferida.

Miranda do Norte, 31 de Janeiro de 2022

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Credibilidade é o nosso maior patrimônio

Nosso objetivo é fazer jornalismo com seriedade, produzindo conteúdo regional, sobre política, economia, sociedade e atualidade, na forma de opinião, editorial e criticas.

Não usamos de artifícios como sensacionalismo, imagens apelativas, chocantes ou degradantes, tampouco textos, frases, ou palavras chulas para obter acessos.

Não somos o primeiro a divulgar a informação, mas somos quem apresenta o conteúdo checado, aprofundado e diferenciado.

Aqui oferecemos aquele algo mais que ainda não foi dito, ou ainda não foi mostrado.

Noticias qualquer um pode divulgar, mas com apuração e seriedade só aqui.

Comentários anônimos, ou que contenham, palavrões, pornografia, ataques pessoais, calúnias ou difamações não serão publicados.

Jornalista Abimael Costa