sexta-feira, 10 de junho de 2022

Vítima de linchamento virtual/midiático, Lupércio é inocentado pela justiça

 


Empresário ver com satisfação o restabelecimento da verdade e fim de um calvário.



Pois bem, pasmem os senhores e as senhoras, depois de todo linchamento moral que trouxe prejuízos e danos irreparáveis ao empresário LUPÉRCIO ALVES DE LIMA , na última terça-feira (07), a justiça deu o VEREDICTO FINAL:

Conforme decisão assinada pelo juiz Raul José Goulart Júnior, titular da Vara Especial Colegiada dos Crimes Organizados e pelo também juiz da mesma vara, Marcelo Elias Matos e Oka, LUPÉRCIO ALVES DE LIMA foi sumariamente absorvido da prática de todos os crimes  citados na denuncia, em bom português e falando às claras, direto ao ponto, isso significa dizer: LUPÉRCIO É INOCENTE.



Foi feito justiça, a verdade foi restabelecida, mas ficam muitos questionamentos, por exemplo:

Aqueles que caluniaram, julgaram, condenaram, irão se retratar, farão mea culpa, ocuparão os mesmos espaços de mídia para um pedido de desculpa?

Os prejuízos morais e financeiros serão de alguma forma reparados?

Fica a lição do preceito constitucional da presunção da inocência:

.“Ninguém será considerado culpado até o trânsito em julgado de sentença penal condenatória.”

Nascido em Miranda do Norte e estabelecido em Matões do Norte, Lupércio Alves é um cidadão de bem, homem integro, de conduta ilibada, atua há mais de 25 anos na região sem nenhuma mácula que desabone a sua conduta.

  

Há cerca de dois ano e meio atrás, mas precisamente em janeiro de 2020, Lupércio foi alvo de um ataque covarde, que atingiu em cheio sua honra, sua dignidade e sua imagem.

A época Lupércio teve o nome citado e a imagem exibida de forma in de indevida pela TV Record em programa de televisão de alcance nacional - Repórter Record Investigação - DOSSIÊ CARAJÁS - Corrupção e Descaso - apontado e citado como suposto integrante de OCRIM - Organização Criminosa responsável por desvio de recursos públicos.

Sem direto de resposta, injustamente  e de forma leviana LUPÉRCIO foi sumariamente julgado e condenado pelo TRIBUNAL DAS REDES SOCIAIS.

Desde o início dos fatos, este jornalista adotou posicionamento legal da presunção da inocência conforme preceitua o inciso LVII do artigo 5º, promulgado pela Constituição Federal de 1988:


Art 5º, LVII, CF -“Ninguém será considerado culpado até o trânsito em julgado de sentença penal condenatória.”

Em nota publicada em 10 de janeiro de 2020 conforme link abaixo:

https://www.abimaelcosta.com.br/2021/01/empresario-maranhense-repudia-uso.html?m=1

Abri espaço para a defesa do empresário, concedendo a ele o direito de voz, de expressão e do contraditório, fui criticado, atacado e massacrado como estivesse agindo de forma desonesta e/ou criminosa, ao defender o princípio constitucional da presunção da inocência.

Na nota de repúdio o empresário destacava e restabelecia a verdade dos fatos, na época distorcidos pela TV Record:

"Ao contrário do que tenta mostrar a reportagem, Lupércio Alves e sua empresa, a Classe A Empreendimentos, jamais participaram de licitação com vista a realização do citado evento, nem de forma direta ou terceirizada, não tendo portanto qualquer vínculo ou responsabilidade por ações de terceiros.

De cabeça erguida e confiante na justiça, certo de que a verdade dos fatos será restabelecida e sua inocência provada, o empresário mantém a rotina diária de muito trabalho sempre focado na honestidade, transparência e honradez que lhe e peculiar.'      .

Matões do Norte, 15 de janeiro de 2020 - Lupércio Alves

Pois bem, pasmem os senhores e as senhoras, depois de todo esse linchamento moral que trouxe prejuízos e danos irreparáveis ao empresário, na última terça-feira (07), a justiça deu o VEREDICTO FINAL:

Conforme decisão assinada pelo juiz Raul José Goulart Júnior, titular da Vara Especial Colegiada dos Crimes Organizados e pelo também juiz da mesma vara, Marcelo Elias Matos e Oka, LUPÉRCIO ALVES DE LIMA foi sumariamente absorvido da prática de todos os crimes  citados na denuncia, em bom português e falando às claras, direto ao ponto, isso significa dizer: LUPÉRCIO É INOCENTE. 

Foi feito justiça, a verdade foi restabelecida, mas ficam muitos questionamentos, por exemplo: Aqueles que caluniaram, julgaram, condenaram, irão se retratar, farão mea culpa, ocuparão os mesmos espaços de mídia para um pedido de desculpa?

Os prejuízos morais e financeiros serão de alguma forma reparados?

Fica a lição do preceito constitucional da presunção da inocência:

“Ninguém será considerado culpado até o trânsito em julgado de sentença penal condenatória.”

Sereno e comedido, Lupércio  recebe com muita tranquilidade o veredicto da justiça, faz questão de agradecer aqueles que desde o primeiro momento tiveram a certeza plena de sua inocência e de sua conduta íntegra e legal.

Lupércio provou sua inocência, integridade e honestidade ao ser absorvido pela justiça, não sem antes sofrer o julgamento e a condenação do tribunal inquisidor das redes sociais, o linchamento moral - virtual/midiático - que tantos danos e prejuízos provocou a sua vida. 

Mas é vida que segue, para frente é que se anda!  Lupércio segue fazendo o que sempre gostou, trabalhar de sol a sol de forma honesta e idônea.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Credibilidade é o nosso maior patrimônio

Nosso objetivo é fazer jornalismo com seriedade, produzindo conteúdo regional, sobre política, economia, sociedade e atualidade, na forma de opinião, editorial e criticas.

Não usamos de artifícios como sensacionalismo, imagens apelativas, chocantes ou degradantes, tampouco textos, frases, ou palavras chulas para obter acessos.

Não somos o primeiro a divulgar a informação, mas somos quem apresenta o conteúdo checado, aprofundado e diferenciado.

Aqui oferecemos aquele algo mais que ainda não foi dito, ou ainda não foi mostrado.

Noticias qualquer um pode divulgar, mas com apuração e seriedade só aqui.

Comentários anônimos, ou que contenham, palavrões, pornografia, ataques pessoais, calúnias ou difamações não serão publicados.

Jornalista Abimael Costa