terça-feira, 29 de agosto de 2023

Em defesa das comunidades faveladas: evento promovido pelo Ministério das Cidades, coordenado por Hildo Rocha, busca criar condições para formalização de parcerias com Instituto Gerando Falcões


Promovido pelo Ministério das Cidades, por meio da secretaria executiva do órgão, servidores e técnicos do governo federal se reuniram com gestores e técnicos do Instituto Gerando Falcoes, com a finalidade de aprofundar conhecimentos acerca da metodologia que a organização utiliza na execução de projetos sociais que estão transformando a realidade de favelas, no Brasil.


Hildo Rocha destacou que o encontro, idealizado pela diretoria de Gestão Estratégica e Planejamento da Secretaria Executiva do Ministério das Cidades, é mais um ato que tem como finalidade fazer uma imersão nas ideias e nas ações que o Instituto Gerando Falcões fez em várias favelas do Brasil.

“O que nós pretendemos é aprofundar os nossos conhecimentos acerca da metodologia que o instituto Gerando Falcões utiliza para diminuir as carências nos setores da saude, dos espaços físicos, do urbanismo, do conhecimento e da capacitação, entre outros temas. Então, nós estamos observando que as ideias e os resultados obtidos pelo Instituto Gerando Falcões podem ser aproveitadas no âmbito do Ministério das cidades. Nós pretendemos firmar parcerias para que possamos utilizar e replicar, em outras cidades brasileiras, a metodologia utilizada por eles que tem gerando excelentes resultados”, explicou.

Favela 3D: Digital, Digna e Desenvolvida

O entusiasmo do secretário executivo do Ministério das Cidades, em relação aos projetos desenvolvidos pelo Gerando Falcões, despertou a partir da visita que Hildo Rocha fez à Favela dos Sonhos, comunidade que antes era denominada de Favela Boca de Sapo.


“O trabalho que eles fizeram nessa localidade é fantástico, melhorou a empregabilidade, melhorou a renda das famílias, a habitação, a qualificação profissional e o espaço de moradia das famílias. Então nós estamos, juntamente com a Gerando Falcões, buscando conhecer melhor as metodologias a fim de que possamos utilizá-las nas ações previstas no PAC das Periferias, projeto do Ministério das Cidades que prevê obras de urbanização de favelas e melhorias de palafitas, entre outras ações que tem como objetivo melhorar a vida das pessoas que mais precisam do apoio do governo federal, nas áreas de competência do poder público”, enfatizou Hildo Rocha.

Periferia Viva

O chefe de gabinete da Secretaria Nacional de Periferias, Vitor Araripe Freire Pacheco, disse que os projetos que o Instituto Gerando Falcões está colocando em prática se encaixam na concepção do Periferia Viva, iniciativa do Ministério das Cidades que pretende reconhecer, valorizar, potencializar e premiar iniciativas protagonizadas pela população que vive nas periferias, que contribuam para a redução das desigualdades, a qualificação e a transformação dos territórios periféricos, bem como para o exercício da participação e inserção social.

“O projeto Periferia Viva está muito ancorado com o que já vem sendo desenvolvido por essa organização (Instituto Gerando Falcões). Então, estamos felizes porque essa é uma oportunidade de avançarmos nessa agenda de envolvimento de diversas instituições sociais, empresas e organizações do terceiro setor que tem como finalidade essencial promover ações em prol da melhoria da qualidade de vida das pessoas que vivem nas periferias das cidades brasileiras”, sublinhou Pacheco.

Pobreza tem caráter multidimensional

De acordo Bruno Poá, líder do Instituto Gerando Falcões, a iniciativa do Ministério das Cidades é motivo de alegria porque o combate à pobreza exige união de todas as instituições que atuam nesse segmento de trabalho.

“A gente entende que não existe uma bala de prata, uma solução única pra combater a pobreza. A pobreza é multidimensional. Portanto, a gente precisa de vários atores, com várias expertises, para que possamos tornar o nosso País mais justo. Então esse momento é muito gratificante e espero que daqui saiam muitas ações, muitas ideias pra gente conseguir fazer com que os mais pobres tenham mais oportunidades, mais acesso aos projetos que tenham como finalidade melhorar a qualidade de vida das pessoas que vivem em favelas e palafitas. A gente sabe que se a maré subir para o favelado sobe pra todo mundo”, argumentou Poá.






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Credibilidade é o nosso maior patrimônio

Nosso objetivo é fazer jornalismo com seriedade, produzindo conteúdo regional, sobre política, economia, sociedade e atualidade, na forma de opinião, editorial e criticas.

Não somos o primeiro a divulgar a informação, mas somos quem apresenta o conteúdo checado, aprofundado e diferenciado.

Noticias qualquer um pode divulgar, mas com apuração e seriedade só aqui.

Jornalista Abimael Costa