segunda-feira, 21 de maio de 2018

Neto Hadad lamenta a omissão e a hipocrisia que cerca o caso Thalia - "Mataram a menina duas vezes"





O caso da estudante Thalia Mendes Meireles, de 16 anos, que recorreu ao suicídio em 13 de abril de 2017 - por supostamente sofrer abusos sexuais dentro de casa, voltou a tona no último sábado - 18 de Maio - Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. ENTENDA O CASO THALIA.

Ao relembrar o caso, o jornalista santa-inesense Neto Hadad faz duras críticas ao que chamou de omissão de grande parte da sociedade, que conforme ele, na teoria se diz contra o abuso e a exploração sexual de crianças e adolescentes, mas na prática, se cala, ignora, e faz de conta que o problema é dos outros. "Na teoria todo mundo é contra o abuso sexual de crianças e adolescentes, mas na prática não é bem assim. Boa parte se omite e faz de conta que o problema é dos outros. Aqui mesmo na região tem um caso emblemático. É o caso da adolescente Thalia Mendes. Não mais suportando os abusos que sofria dentro de casa recorreu ao suicídio"

De modo muito coerente e acertado, Neto Hadad lamenta que Thalia tenha sido morta DUAS vezes, já que antes que seu corpo esfriasse, quase todos apontavam o dedo para vítima, a condenando; em contrapartida defendiam com unhas e dentes o suposto algoz. "antes que seu corpo esfriasse, quase todos apontavam para vítima e defendiam o algoz. Mataram a menina duas vezes.

O jornalista critica com firmeza, a demora e a lentidão do inquérito policial sobre o caso, "A senha era esperar por um inquérito policial que, se foi concluído, um ano depois nunca foi visto" 

Hadad conclui, pontuando a existência de uma espécie de tratamento diferenciado, ou uso de dois pesos e duas medidas por parte daqueles que tem o dever de apurar, denunciar, julgar e condenar."pior é que se sabe que para acusar negros e pobres não precisa nada disso. Basta que estejam no rol de suspeitas para serem presos e estamparem as primeiras páginas dos jornais"



Na teoria todo mundo é contra o abuso sexual de crianças e adolescentes, mas na prática não é bem assim. Boa parte se omite e faz de conta que o problema é dos outros. Aqui mesmo na região tem um caso emblemático.
 É o caso da adolescente Thalia Mendes. Não mais suportando os abusos que sofria dentro de casa recorreu ao suicídio e, antes que seu corpo esfriasse, quase todos apontavam para vítima e defendiam o algoz.
 Mataram a menina duas vezes. A senha era esperar por um inquérito policial que, se foi concluído, um ano depois nunca foi visto. 
O pior é que se sabe que para acusar negros e pobres não precisa nada disso. Basta que estejam no rol de suspeitas para serem presos e estamparem as primeiras páginas dos jornais.
ENTENDA O CASO

A estudante Thalia Mendes Meireles, de 16 anos, filha do empresário José Meireles da Silva, cometeu suicídio no inicio da noite de quinta-feira- 13 de abril de 2017 - . A jovem morava na casa da mãe, na cidade de Monção, onde tirou a própria vida. 
  
Em um trecho de uma carta que teria sido escrita pela jovem, ela conta detalhes sobre sua situação e os motivos que a levaram a recorrer ao suicídio. "Meu próprio pai me abusou e foi por isso que eu morri por dentro. Eu fui morrendo durante dois anos. Fui vendo minha morte sem poder fazer nada a respeito. Quantos cortes eu nao fiz? Eu até apelei a drogas, o que não resultou em nada. Meu pai iniciou a destruição."

SOBRE O 18 DE MAIO 

Na última sexta-feira (18 de Maio)  comemorou-se o 18º ano de mobilização do Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes”. Instituído pela Lei Federal 9.970/00. O Dia 18 de Maio, é uma conquista que demarca a luta pelos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes no Brasil. Esse dia foi escolhido porque em 18 de maio de 1973, na cidade de Vitória (ES), um crime bárbaro chocou todo o país e ficou conhecido como o “Caso Araceli”.

Esse era o nome de uma menina de apenas oito anos de idade, que teve todos os seus direitos humanos violados, foi raptada, estuprada e morta por jovens de classe média alta daquela cidade. O crime, apesar de sua natureza hedionda, até hoje está impune. A proposta do “18 de maio” é destacar a data para mobilizar, sensibilizar, informar e convocar toda a sociedade a participar da luta em defesa dos direitos sexuais de crianças e adolescentes.



Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Credibilidade é o nosso maior patrimônio

Nosso objetivo é fazer jornalismo com seriedade, produzindo conteúdo regional, sobre política, economia, sociedade e atualidade, na forma de opinião, editorial e criticas.

Não usamos de artifícios como sensacionalismo, imagens apelativas, chocantes ou degradantes, tampouco textos, frases, ou palavras chulas para obter acessos.

Não somos o primeiro a divulgar a informação, mas somos quem apresenta o conteúdo checado, aprofundado e diferenciado.

Aqui oferecemos aquele algo mais que ainda não foi dito, ou ainda não foi mostrado.

Noticias qualquer um pode divulgar, mas com apuração e seriedade só aqui.

Comentários anônimos, ou que contenham, palavrões, pornografia, ataques pessoais, calúnias ou difamações não serão publicados.

Jornalista Abimael Costa

LG Contabilidade Pública

LG Contabilidade Pública

Clinica Santo André

Clinica Santo André
Crie seu próprio questionário de feedback de usuário

REGISTRO - 1608/MA

REGISTRO - 1608/MA

O amanhã é hoje

O amanhã é hoje

DISQUE DENÚNCIA - MIRANDA DO NORTE

DISQUE DENÚNCIA - MIRANDA DO NORTE

...

...

GCL - CONSTRUÇÕES

GCL - CONSTRUÇÕES

Fale Comigo

Nome

E-mail *

Mensagem *