Pular para o conteúdo principal

A violência em Arari nos afeta a todos



Por: *Nilson Ericeira

A dor que assola a família de José Cantídio Pereira Neto é a mesma dor afeta a todas as vítimas da violência crescente em nosso Município.

Todos amamos Arari, mas sabemos que não é mais uma cidade tão pacata assim quanto nossos sentimentos fazem questão de sentir, pois os fatos estão aí para provarem. 

É evidente que andamos assustados, pois o nosso povo não é acostumado com esse tipo de ação, muito pelo contrário, na nossa cidade, quase todos fazemos questão de nos reconhecer uns aos outros. Quem está lendo aqui se ver representado nesta afirmação e sabe do que estou falando.

Tenho conhecimento que são muitos os assaltos que acontecem nas estradas vicinais e na BR, isto quando não acontecem a céu aberto e à luz do dia nas ruas de Arari. 

Lamentamos, mas não podemos esconder. É preciso dá um basta nisto. Pois as famílias de Arari além de não suportarem mais perderem seus entes queridos, algumas vezes não sabem a quem recorrer!

Não queremos a violência pela violência e nem a ‘justiça’ com as próprias mãos, pois esta faculta a desobediência e a desordem, mas também não podemos admitir um Estado sem ordem, quando vemos as pessoas de Arari, nossos conterrâneos, sendo levados a engrossarem as estatísticas do crime, ou melhor, dos que perderam a vida para ações criminosas e dos que matam por meio das leis que fazem e acreditam (a lei da impunidade!). 

Pois quando alguém entende que resolve suas próprias situações da forma que lhe convier é porque tem certeza da impunidade. E isto o Estado de Direito não aceita.

É preciso agir com rigor para manter a ordem aos que desafiam à lei! Mesmo que saibamos que a dor no coração de quem perde seus entes queridos sangra na mesma intensidade das feridas abertas nas vítimas da violência.

Acreditamos na justiça como única forma de resolução dos conflitos e por esta razão acreditamos no Estado constituído por leis. 

É isso que deve vigorar. Externamos assim os nossos mais profundos sentimentos de pesar aos familiares de José Cantídio, na esperança de que a justiça se faça através das leis e que Deus o receba na sua Glória Eterna.

*Nilson de Jesus Sousa (Nilson Ericeira), poeta, jornalista, professor, psicopedagogo, advogado, funcionário público há mais de 34 anos, membro da Academia Arariense de Letras Artes e Ciências e ex-secretário Municipal de Educação de Arari-MA. É natural de Arari. Nasceu na Rua da Franca nº16, no bairro de mesmo nome, no dia 8 de novembro de 1962. Nilson Ericeira é a forma que mais gosta de ser chamado, porém na Educação maranhense, é carinhosamente tratado por todos como Nilsinho.


ENTENDA O CASO: 

Pai de vereador é executado a tiros em Arari - TERRA SEM LEI: Crime de pistolagem volta abalar comunidade Cedro em Arari


Pai e filho assassinados com requintes de crueldade em Arari

Comentários

OUÇA a RÁDIO VOZ DE ARARI

Denuncie, seja os olhos e os ouvidos da polícia!

Clinica Santo André

Clinica Santo André

LG Contabilidade Pública

LG Contabilidade Pública